Descrição de chapéu FGTS stf Facebook

Leitora elogia decisão de Moraes com o Facebook e a compara com investigação de crimes de pedofilia

Desmatamento no Pará, CPMF e cultura do cancelamento são comentados por leitores da Folha

Moraes e o Facebook
Decisão correta. É como apreender uma filmadora de um pedófilo ou equipamentos para a produção de drogas. Esses milicianos cometem crimes, com efeitos no Brasil, de injúria, calúnia, difamação, ameaça, crimes contra a Lei de Segurança Nacional, além de crimes contra a saúde pública e a liberdade de imprensa, entre outros. Parabéns, ministro (“Moraes aumenta pressão sobre Facebook em decisão que extrapola jurisdição”, Poder, 1º/8)!
Paulão Henrique de Mello (Valinhos, SP)

*

Os excessos existem, mas a medida é equivocada. Só Nicolás Maduro poderia fazer isso. Fidel Castro também —nunca fez, mas talvez pudesse. O mundo mudou, e quem não percebeu está fora do contexto.
José Alberto Dietrich Filho (Cascavel, PR)

*

Parabéns, ministro. O Supremo Tribunal Federal mostra que no Brasil existe respeito às leis e que bravatas e fake news, sob o subterfúgio da liberdade de expressão, não serão toleradas no território nacional, venham de onde vierem.
Mauricio de Oliveira e Silva (Salvador, BA)

*

Quem deveria resguardar os direitos fundamentais e a Constituição está rasgando tudo e agindo como ditadores. Tudo porque estão sendo insultados! Oras, se acham que estão atingindo sua honra, processem os meliantes, como todo cidadão que não tem um STF para si deve fazer. Parabéns ao Facebook. Liberdade de expressão é algo fundamental para a democracia. Não se pode defender liberdade só quando o pensamento é parecido com o seu.
Danilo Bitencourt Mariano (São Paulo, SP)

*

Facebook está se tornando, na prática, Matrix, domínio de informações sobre os cidadãos, que sobrepõe a mais alta corte brasileira para continuar vendendo seus produtos.
Antônio João da Silva (Brasília, DF)


Passando a boiada
O pior argumento bolsonarista é que a Europa não preservou o seu meio ambiente (“Após exonerações no Ibama, desmate volta a crescer em área indígena no PA”, Ambiente, 1º/8)! Cabe aos brasileiros preservar o nosso e entendê-lo como algo valioso para todo o planeta! A despolítica ambiental do governo Bolsonaro beneficia a grilagem e o extermínio dos índios! Quando se assiste a uma política assim, sem reação de toda a população, só podemos crer que tem apoio de muitos brasileiros! Lamentável.
Vilarino Escobar da Costa (Viamão, RS)

Queimada em área recentemente desmatada para formação de pasto dentro da Terra Indígena Trincheira Bacajá, no Pará
Queimada em área recentemente desmatada para formação de pasto dentro da Terra Indígena Trincheira Bacajá, no Pará - Lalo de Almeida/ Folhapress

*

Estão matando as nossas florestas, pássaros, animais, etc. Dói na alma ver tudo isso e ninguém faz nada. Uma árvore caída e sem vida é uma das coisas tristes que tenho visto neste país e me faz chorar! Quando isso vai acabar? Em pouco tempo, vamos olhar e ver paisagens vazias e tristes. Aclamemos a Deus para que o país encontre o seu eixo.
Maria Oclair Manhni (São Paulo, SP)

*

Não tenho mais estômago para ler tanta coisa ruim sobre ambiente. Que dó de nossas flores e animais. Além de tudo, brasileiro é burro, pois hoje é possível preservar e ganhar dinheiro. A cada dia, no mundo civilizado, a natureza é mais valorizada. Só aqui, nesse antro de ignorância, estamos destruindo tudo e assistindo passivamente.
Eliane Freitas (São Paulo, SP)

*

Aonde chegamos. Nosso patrimônio ambiental violado por irresponsáveis com o aval dos ocupantes da estrutura do Estado que querem passar a boiada. O crime ambiental segue sendo legitimado pelo governo. O general Mourão dá explicações superficiais e o problema ambiental se agrava. E o Brasil perde investimentos estrangeiros de grupos responsáveis ambientalmente.
Adalto Fonseca Júnior (Vitória, ES)


CPMF
A Esplanada dos Ministérios é um deserto de ideias (“Bolsonaro autoriza Guedes a testar ‘nova CPMF’”, Mercado).
Leonardo dos Reis Gama (São Paulo, SP)

*

Como afirma José Simão: pra saber de mais imposto, pergunte ao Imposto Ipiranga!
Jorge Sá de Miranda Netto (São Paulo, SP)


Cultura do cancelamento
Brilhantes os artigos de Gregório Duvivier (“Ciranda do cancelamento”, Ilustrada, 29/7) e Milly Lacombe (“Raivas soterradas”, Tendências / Debates, 1º/8). Ele começa e ela mata a pau a questão, aprofundando o debate sobre a cultura do cancelamento e dando a ele a dimensão crítica que interessa!
Flávia Aidar (São Paulo, SP)


Weintraub
Será que se, em vez do nome Abraham Weintraub, fosse José da Silva, teria conseguido entrar nos EUA e ser nomeado diretor-executivo do Conselho do Banco Mundial (“Após 40 dias nos EUA, Weintraub é confirmado diretor no Banco Mundial”)?
Rita Lopes (São Paulo, SP)


Petrobras e militares
Ridículo, tem que privatizar mesmo (“Petrobras homenageará militares com batismo de plataformas”, Mercado, 1º/8). Sempre fui contra a privatização, mas não dá, é uma aberração depois da outra.
Carlos Telles (Porto Alegre, RS)


FGTS para dívidas
Com juros estratosféricos cobrados por bancos e cartões de crédito, não é de admirar que as pessoas tentarão fugir de dívidas —daí o dinheiro volta aos banqueiros e não vai para o consumo (“Cerca de 40% vão usar o FGTS para quitar dívidas”, Mercado, 1º/8). Com a pandemia os banqueiros matarão a galinha dos ovos de ouro. Depois dela, povo e empresários voltam ao escambo, e os banqueiros vão para a Suíça.
Jose Simão de Paula Pinto (Curitiba, PR)


Nota de R$ 200
Faz tempo que não vejo uma de R$ 100 e já vem a de R$ 200!
Alberto Henrique (Mauá, SP)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.