Leitores também pedem: 'Responda, presidente'

Artigo sobre reforma tributária é elogiado pelos leitores

Responda, presidente
Corretíssima a análise da Folha sobre os disparates do presidente ("Responda, presidente", Opinião, 25/8). Até onde vão a estupidez, a arrogância e a falta de ética de Bolsonaro? Esses constantes ataques à imprensa e a jornalistas precisam cessar. Se lhe faltam postura republicana e caráter, a sociedade civil tem o dever de repudiar veementemente suas atitudes. Nem Bolsonaro nem qualquer outro cidadão está acima do bem e do mal. Como representante de uma nação, precisa, sim, responder por seus atos, com educação, postura e respeito.
Marcelo Rebinski (Curitiba, PR)

Jair Bolsonaro ofende jornalista ao ser questionado sobre os depósitos de Fabrício Queiroz na conta da primeira dama Michelle - Pedro Ladeira/Folhapress


O editorial da Folha acertadamente aponta a necessidade de o chefe de Estado prestar contas, sendo inaceitáveis os ataques à imprensa, que apenas cumpre seu papel investigativo. Seu comportamento, porém, ressoa em parcela significativa da população, que aprova o governo. Esse é um fato curioso, afinal, o que o governo federal realizou nos últimos meses?
Rene Sampar (Curitiba, PR)

*

Por que Michelle não é investigada nem chamada para depor? Tem imunidade por ser mulher do inominável?
Roseane Luz Habib (Rio de Janeiro, RJ)

Pessoa sentada numa espécie de carteira escolar com o braço pra cima pergunta: "Presidente Jair Bolsonaro, por que sua esposa Michelle recebeu 89 mil de Fabricio Queiroz?"
Charge da Laerte sobre pergunta de jornalista para Bolsonaro - Laerte


O impeachment continua na gaveta. Só não sai porque os deputados devem estar com medo dos soldados do Palácio.
Antonio Ferreira da Costa Neto (Belo Horizonte, MG)


Bolsa Família
"Guedes avisa Bolsonaro que Renda Brasil de R$ 300 depende de fim das deduções do IR" (Mercado, 25/8). É um desaforo. Tirar dinheiro do já defasado salário dos trabalhadores para transformar em moeda de compra de votos.
João Leite Leite (Osasco, SP)

Faça isso. A classe média, frustrada e que votou em massa em Bolsonaro, vai ficar muito feliz... Afinal, ela pediu esse sujeito que se mostra um Robin Hood à moda brasileira, que tem unicamente finalidade eleitoreira, como de praxe. Estavam reclamando da Dilma? Mas tenham calma, mas muita calma, porque a situação vai piorar, e vai piorar muito para a classe média.
Rodrigo Caldas (Recife, PE)

*

Não entendi. Primeiro Guedes quer eliminar isenções no IR. Depois entende ser necessária a criação de uma nova CPMF para compensar aumento da faixa de isenção do IR.
Vitor Soares (São Bernardo do Campo, SP)


Os Lusíadas
O colunista Hélio Schwartsman, mais uma vez, deu um espetáculo de lucidez, coragem e inteligência em seu artigo "Os Lusíadas" (Opinião, 25/8). O Brasil passa por um momento funesto, truculento e lamentável. Mais do que nunca, vozes como a desse colunista são importantes para não deixarmos prevalecer e se instalar o autoritarismo do governo Bolsonaro. Nossas crianças e jovens necessitam de bons exemplos, como o desse bravo colunista.
Therezinha Lima e Oliveira, professora e psicóloga (São José dos Campos, SP)


Os R$ 89 mil de Michelle
Não faz mais sentido ficar perguntando ao presidente o porquê desse dinheiro na conta de Michelle. Todo o Brasil já sabe a resposta. Agora temos de perguntar à Justiça o que será feito com esse fato.
Joel Fernando Antunes de Siqueira (São Paulo, SP)

Fabrício Queiroz e a esposa, Márcia Oliveira de Aguiar
Fabrício Queiroz e a mulher, Márcia Oliveira de Aguiar - Reprodução/Facebook

Dilma
Perfeito o artigo "O tumor Bolsonaro" (Opinião, 25/8). Obrigada, Cristina Serra! Você salvou minha assinatura depois daquele editorial inqualificável.
Maria Emília da Cruz Sales (Belém, PA)


Servidores
A reportagem "Servidores concentram 6 das 10 ocupações mais bem pagas" (Mercado, 25/8) desconsidera a "pejotização" do mercado de trabalho. Dados do IBGE mostram crescimento das ocupações com CNPJ (aumento de 14,3% no 1º trimestre de 2020 em relação ao mesmo período de 2019). Os contratados como CNPJ não declaram salários ao IRPF, portanto o uso dessa fonte para a análise conduz a resultados falhos. A Folha se equivoca ao divulgar pesquisa com base em dados limitados para a análise pretendida e leva os leitores a conclusões erradas.
Alfredo Maranca, presidente do Sindicato dos Agentes Fiscais de Rendas de SP (São Paulo, SP)

*


Sou professor universitário. Meu salário de dedicação exclusiva com doutorado é R$ 10 mil. Se aposentar, receberei o teto do INSS. Professores da educação básica ganham metade disso. Vocês da imprensa querem que professor universitário passe a ganhar o mesmo que ganham os colegas da educação básica? Eu quero que o pessoal da educação ganhe igual a mim, pois eu quero a valorização da educação neste país. Não somos uma massa homogênea de "privilégios"
Leonardo Evangelista (Porto Seguro, BA)

*

#UseAmarelo pela Democracia

A orquídea na casa do Valdecir - Valdecir Ruivo

Orquídeas amarelas contemplando a democracia brasileira.
Valdecir Ruivo (Artur Nogueira, SP)


Reforma tributária
Antônio Marcos Capobianco, no artigo "Mãe gentil?" (Tendências / Debates, 25/8), mostrou os absurdos da tributação do Brasil e a necessidade urgente de reforma. Entretanto uma reforma que realmente corrija as injustiças do atual sistema somente ocorrerá quando diminuir o número de políticos que representam os favorecidos. Por isso, eleitor injustiçado, pense bem na hora de votar.
Edson Shindi Yamada (Londrina, PR)

O Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) superou a marca de R$ 1 trilhão em julho - Paulo Guereta/Photo Premium/Folhapress


O belo artigo de Antônio Marcos Capobianco deveria ser reproduzido em vários jornais deste país. A tabela atual do Imposto de Renda progride até 27,5 %, mas a partir desse percentual ela praticamente torna-se regressiva, podendo chegar a zero, segundo o autor. Deveria progredir até 38% ou 40%.
Ney Spiri Nery (Limeira, SP)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.