'Fome assim no Brasil, no século 21, é barbárie', diz leitor

Leitor critica inação do governo diante das queimadas

Insegurança alimentar
"Quatro em cada dez famílias brasileiras vivem em insegurança alimentar, diz IBGE" (Cotidiano, 17/9). Muito triste esta nossa realidade. A fome retornando com força no país que está entre as dez maiores economias e também é um dos maiores produtores de alimentos. Fracasso da nossa geração, que está perdendo as conquistas civilizatórias. Fome dessa dimensão, no século 21, é pura barbárie.
Mônica Damous Duailibe (São Luís, MA)


Ué, não era só tirar a Dilma que o Brasil iria decolar? Cadê os bilhões em investimentos estrangeiros e os milhões de empregos que a reforma trabalhista geraria?
Ramoom Martínez (Rio de Janeiro, RJ)

*

Um país que anda em círculos, sem jamais resolver os seus problemas fundamentais. Desanimador.
José Fernando Marques (Brasília, DF)


Jaboticabal brasileira
País da piada pronta. Jaboticaba só existe no Brasil, até na política. O povo deveria parar de votar em clã político, como se sobrenome fosse algo de bom --muito pelo contrário, é uma forma de nobreza em plena República. Reforma política começa com voto distrital misto para o Legislativo nos três níveis. Quem teme a maior participação e fiscalização da sociedade são esses da má política, que veem o cargo eletivo como profissão --como ficar 28 anos como deputado federal desviando verba de gabinete ("Eleição em Jaboticabal tem primo de Bolsonaro e base de prefeito ficha-suja rachada", Poder, 16/9).
Roberto Ken Nakayama (São Paulo, SP)

Não acredito que minha cidade vai ganhar essa cobertura do maior jornal do país. A eleição passada ficou bastante refém de informações erradas dos jornaizinhos locais.
Thiago de Morais (Jaboticabal, SP)

*

Como cidadão jaboticabalense, espero que a população escolha o mais competente, não um salvador da pátria. Candidatos não faltam. E parabéns ao jornal pela reportagem.
Luiz Carlos Donadio, professor titular de fruticultura - Unesp (Jaboticabal, SP)


Chega a ser surreal o destaque dado pela Folha às eleições em Jaboticabal pelo simples fato de haver um primo de Bolsonaro na disputa. E daí? Qual é a importância disso? Além de desrespeito com os leitores, pois a Folha é um jornal de circulação nacional, trata-se de claro benefício a um candidato. Qual é a real intenção do jornal? Sinalizar uma aproximação com Bolsonaro?
Virgílio Rocha de Souza Lima (Itaúna, MG)


Volta às aulas
A decisão do prefeito Bruno Covas é de alguém que acha que educação não é importante ("Covas autoriza atividades extracurriculares nas escolas, mas sem volta às aulas", Educação, 17/9). Difícil mudar um país com pessoas assim no poder. O avô deve estar envergonhado dos atos do neto.
Fernando José Sanchez de Aquino (São Paulo, SP)


Livros e impostos
Simples e brilhante o artigo "Taxa do livro é pedra no caminho do desenvolvimento" (Tendências / Debates, 16/9), de Paulo Werneck. Congratulações ao autor. Com a palavra (e contra os livros, ao que parece) os liberais que se sentirem tocados pelo texto.
Paulo Roberto Schlichting (Curitiba, PR)

*

Por esse pensamento, é melhor deixar de taxar água e remédio então... Incrível como os interesses pessoais do autor do artigo o deixam cego. Além disso, acho que ele não leu nada sobre desenvolvimento econômico nos últimos 30 anos.
Daniel Alves (Novo Horizonte, SP)


Fogo na Amazônia
É um absurdo a ineficácia das autoridades responsáveis por esse assunto, tendo à frente o general Hamilton Mourão. Parecem ignorar que na região o Exército tem Batalhões de Selva, a Marinha tem embarcações preparadas e batalhões de fuzileiros navais, e a Força Aérea, aeronaves de patrulhamento para agir de imediato assim que se detecta o início de um desmatamento ou de um foco de incêndio. Com tudo isso, poderiam impedir essas situações e prender os envolvidos. Mas o resultado aí está, com o fogo atingindo o Pantanal e a fumaça já chegando até o Rio Grande do Sul.
Arnaldo Macedo Caron (Curitiba, PR)

Juiz, ministro, advogado
Moro foi uma vergonha como juiz, por ser parcial. Não deveria exercer a advocacia. É um péssimo exemplo ("Moro consegue inscrição na OAB e já pode advogar", Mônica Bergamo, 17/9).
Marcelo Cataneo (São José, SC)

Parabéns a Sergio Moro. Críticas são normais, afinal ele teve coragem. As indignações deveriam ser para políticos, advogados e empresários envolvidos em desvios de bilhões, mas alguns não pensam assim.
Sonia Jorare Gomes (São Paulo, SP)

*

Quero Sergio Moro como meu advogado: defende, acusa e julga (tudo junto) --e ainda é promovido a ministro. Um colosso!
Jones Dari Goettert (Dourados, MS)

*

É o único que tentou mudar o país —e, em parte, conseguiu. Os brasileiros não merecem essa pessoa extraordinária. Cada nação tem o político que merece.
Igor Fokkens (Carambeí, PR)

*

Uma dica para o ex-presidente Lula: contrate Moro. Ele conhece todo o processo e sabe onde estão as maracutaias usadas para a sua condenação. Vá nessa, Lula. Quem sabe você ganha.
Guilherme Torres Godoy (Paranaíba, MS)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.