Governo tem projeto para destruir órgãos do meio ambiente, diz leitor

Orçamento do Ibama e ICMBio em 2021 foi cortado apesar de incêndios

Governo Bolsonaro

Menos de um mês e meio do gasto com as Forças Armadas na Amazônia custa mais que todo o orçamento anual para operações de fiscalização do Ibama, que tem a expertise. Junte-se a isso a recusa em receber da Noruega e da Alemanha recursos para fiscalização (e depois pagar o mico de ir com pires na mão pedir os mesmos recursos). Não é incompetência, é um projeto para destruir órgãos de fiscalização e proteção do meio ambiente ("Apesar de incêndios, governo corta orçamento do Ibama e ICMBio em 2021").

Alexander Vicente Christianini (Sorocaba, SP)

Este governo não tem nenhum interesse de conter desmatamento ou queimadas. Esse discurso espúrio de preocupação com o meio ambiente é só para agradar o mercado consumidor dos outros países. Além da perda irreparável do bioma, teremos perdas financeiras consideráveis e não foi por falta de aviso. Esse é o pais destruído que essa turma quer deixar para as novas gerações, mas tudo bem, sempre terão Miami para fugir.

Luiz Carlos Ferreira Gomes (Brasília, DF )

*

Economizar é uma palavra que estava fora do vocabulário do passado. Gostam de gastança com dinheiro público. Quando o governo começa a ter respeito com o dinheiro do povo, a imprensa vira no túmulo.

José Roberto Alferes Siqueira (Cacoal, RO)

*

A situação no Pantanal está um caos, dizimando espécies e ameaçando os últimos redutos das onças, conforme mostraram recentes reportagens. Tudo muito triste. É a maior série de queimadas nas últimas décadas conforme o Inpe. Os próprios pantaneiros estão se unindo numa ofensiva com pouquíssimos recursos e estrutura.

João Pedro Sousa (São Paulo, SP)


Turismo

A Folha ajudou os turistas conscientes a escolher seus destinos pós-pandemia. Passo 1, pegue o mapa de "O estado da democracia no mundo"; 2 - pegue o mapa de "Legislação para o aborto ao redor do mundo"; 3 - identifique os países que aparecem em azul em ambos; 4 - você já tem seus próximos destinos. Se os governos não melhoram por razões éticas, então que melhorem por razões econômicas.

Maristela Martins de Camargo (São Paulo, SP)


Homeopatia

No excelente artigo "O vírus que veio para ficar", de Esper Kallás, infectologista e professor titular da USP, há um trecho em ele diz que o que as vacinas fazem é "simular a infecção sem causar a doença que o germe original costuma provocar". Ora, isso é, sem tirar nem por, a célebre lei da cura pelos semelhantes descrita por Samuel Hahnemann há mais de 200 anos. Quando a infectologia afirma isso todos acreditam, mas a homeopatia vem dizendo a mesma coisa com outras palavras há dois séculos e ainda há quem questione e duvide do seu poder terapêutico.

João Manuel Maio, médico homeopata (São José dos Campos, SP)


Saúde mental

O artigo do médico Drauzio Varella "Setembro amarelo" descreveu uma realidade conhecida por nós há muito tempo: o descaso com a saúde mental da população. As patologias psiquiátricas, que já assumiam proporções epidêmicas antes do coronavírus, certamente se tornarão muito mais prevalentes depois. E, o mais grave, a falta de estrutura para abordagem das mesmas continua inalterada. Muito preocupante.

José Elias Aiex Neto, médico psiquiatra (Foz do Iguaçu, PR)


Reforma administrativa

A defesa da Folha pela diminuição ou a extinção da estabilidade é o mesmo que pedir a entrega do Estado ao clientelismo, à corrupção e aos oportunistas que querem se servir do Estado ("Rever a estabilidade"). A estabilidade garante a isenção e a independência do servidor concursado no trabalho, prestado só e apenas à população, sem ter que se submeter ao político de ocasião. O Brasil está longe de ser o país com mais servidores públicos em relação a população. Que acabem com os não concursados, mordomias e os privilégios.

Maria Tereza Castro (Campinas, SP)

*

A discussão da estabilidade decorre do desconhecimento sobre mecanismos de controle de qualidade nos serviços públicos. Vagabundo será vagabundo com ou sem estabilidade. Ineficiente ou incapaz, responderá ao processo e, se for o caso, dispensado. Basta fazer valer a lei. Neste país, estabilidade é fator contra desmandos. Concursos honestos, limpos, exigentes, combinados com serviço público de qualidade e controle externo, garantiriam que a estabilidade não seja esse monstro que pintam.

Vitor Luis Aidar Santos (Jaboticabal, SP)

A Associação Paulista de Magistrados não aceita inverdades como as da reportagem "Salários vitalícios ainda beneficiam Judiciário e cargos nos Estados". Ninguém recebe salário vitalício. Salário é recebido enquanto em atividade. Em inatividade, recebe-se aposentadoria, para a qual se contribui, exatamente na mesma proporção da iniciativa privada. Chamar aposentadoria de salário tem viés de desinformação para manchar a imagem do Judiciário.

Vanessa Mateus, presidente da Apamagis (São Paulo, SP)


#UseAmarelo pela Democracia

Árvores do Parque Modernista - Rosangela Gonzalez Piccolo

Árvore amarela no Parque Modernista, em foto tirada da janela do meu apartamento.

Rosangela Gonzalez Piccolo (São Paulo, SP)


Colunista

Certo que a classe média progressista errou vez ou outra em suas escolhas políticas. Mas daí a demonizar o pensamento progressista engendra-se um incomensurável equívoco pois não há, na história moderna, avanço social e cultural que não tenha partido do pensamento progressista e, eventualmente, de esquerda. Espero ver corrigida essa ótica adotada pelo Demétrio Magnoli ("A política dos idiotas").

José Renato Ribeiro de Moraes (Rio de Janeiro, RJ)

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.