Leitores elogiam texto de Thiago Amparo

Para leitora, só falando de racismo será possível superá-lo

Racismo
"Os violoncelos que o racismo quer silenciar" (Thiago Amparo, 8/9). Elegância argumentativa, conclusão sábia. Chorei no penúltimo parágrafo.
Valéria Vieira (Rio de Janeiro, RJ)

*

Excelente o texto de Thiago Amparo. Obrigada por responder àquele texto intragável. Precisamos mesmo expor o racismo que fere a todos nós. Apenas falando sobre isso haverá um caminho para a sua superação.
Rosângela Alves Pereira (Niterói, RJ)


Lembro-me de quando, nos idos de 2014, falava-se da possível candidatura do ministro do STF Joaquim Barbosa à Presidência da República. Lembro da minha torcida para que ele de fato se candidatasse, pois era de longe a figura com quem eu mais me identificava à época. Eu, um comerciário branco. Ele, um jurista negro. Seis anos depois, se eu abro a boca para dizer um "a" sobre a política de cotas (em relação à qual sou contra), sou imediatamente tachado de racista, fascista, bolsominion... Será mesmo?
Guy Fausto (Curitiba, PR)

"Perdi tudo ao me posicionar contra o racismo, diz ginasta Angelo Assumpção" (Esporte 8/9). Não é de hoje que aparecem denúncias contra o Esporte Clube Pinheiros. Infelizmente, estamos num país onde esse tipo de atitude não tem condenação judicial. Há certo tempo, quando se definiu que racismo é crime sem fiança, várias pessoas foram conduzidas às delegacias por esse crime. Mas a lei não é seguida, pois normalmente o delegado de plantão não registra o racismo. Impunidade e preconceito regem a nossa vida.
Alexander Barbierato (São Paulo, SP)

Angelo Assumpção em competição pelo Pinheiros
Angelo Assumpção em uma de suas últimas competição pelo Pinheiros - Ricardo Bufolin/Flickr do Esporte Clube Pinheiros

Vacina
"'Em janeiro, a gente começa a vacinar todo mundo', diz Pazuello" (Saúde, 8/9). Eduardo Pazuello já errou tanto em geografia, em previsões, em entendimentos... Mas a gente continua desculpando porque ele é o provisório definitivo, digo, interino. E quando afirma que em janeiro de 2021 vai ter vacinação de todo mundo e faz a ressalva de que todo mundo são apenas os que precisarem, fico a pensar: será que ele está falando apenas dos políticos e de seus familiares?
Antonio Lins Rolim Júnior (São Paulo, SP)


Deltan
"Conselho forma maioria para punir Deltan por tuítes contra Renan Calheiros" (Poder,8/9). Antes se dizia que o foro privilegiado beneficiava políticos acusados de supostas irregularidades. Mudaram o entendimento do foro privilegiado. Agora se vê que a prescrição pode beneficiar procurador acusado de supostas irregularidades. Por que não mudam os prazos da prescrição? E, por falar nisso, vão esperar prescrever o caso do procurador Diogo Castor de Mattos para analisá-lo?
Fernando Antonio (Brasília, DF)

*

Agora as hienas vibram com a condenação de Deltan Dallagnol no conselho.
Max Morel (São Paulo, SP)

*

Impressionante como atuam de maneira corporativa e fazem de tudo para proteger os colegas. O Conselho Nacional do Ministério Público sentou em cima de vários processos contra Deltan, transferiu mais de 40 vezes o processo do ex-presidente até vencer o prazo e, no apagar das luzes de 2019, arquivou seis processos. Apesar de tudo o que foi revelado com a Vaza Jato, Sergio Moro foi premiado com a nomeação de ministro e Deltan e seus amiguinhos continuam sendo protegidos.
Marcelo Carlos da Silva (Palhoça, SC)


Desmatamento
"Megaprodutora de soja deixará de desmatar cerrado em 2020" (Ambiente, 8/9). Esclarecedora e deprimente a postura do diretor de sustentabilidade da empresa SLC, Álvaro Dilli. Desmatamento é "limpeza". É nosso, a gente queima, só falta um restinho... Depois está tudo bem. Se isso é a liderança do agronegócio, estamos mal. Atitude criminosa. Um dia, quando a ignorância diminuir, é só isso que se poderá dizer.
Albino Rodrigues Alvarez (São Paulo, SP)

Plantação de soja em Barreiras (BA) - Marizilda Cruppe/Greenpeace

Sangue brasileiro
"O sangue dos brasileiros sempre foi derramado por liberdade", disse Bolsonaro ("Em pronunciamento na TV, Bolsonaro diz defender democracia, mas volta a celebrar golpe de 1964", (Poder, 7/9). E ele tem razão. Se, nos anos 1960, nas palavras do presidente, os militares libertaram o Brasil da radicalização ideológica, logo em seguida o sangue brasileiro foi derramado para libertar o Brasil da ditadura militar. Se Bolsonaro libertou o Brasil do comunismo petista, o sangue brasileiro será derramado para libertar o Brasil do fascismo bolsonarista? Às armas, cidadãos? À venda nas melhores lojas do ramo.
Taru Queiros (São Paulo, SP)

A fotografia estampada na primeira páginada Folha nesta terça-feira (8/9) nos mostra as irregularidades do presidente Bolsonaro e a constante quebra das regras de convívio. Desfila no carro oficial aberto, sem usar máscaras e com várias crianças em pé dentro do veículo... O que é isso, presidente? Se Vossa Excelência não tem compostura para o cargo que ocupa, que pelo menos respeite os que estão à sua volta.
José Otávio Pinto e Silva (São Paulo, SP)


Educação
"Brasil é dos países com mais tempo sem aula; escolas fechadas podem afetar economia mundial" (Cotidiano, 8/9). Praias cheias e escolas vazias...
José Erasmo Silva (Piracicaba, SP)

*

A OCDE cuida de assuntos econômicos. Não admira que faça contas em que a mão de obra futura não ter a produtividade esperada, no jogo da mais-valia, seja um problema. Mantenham as crianças em casa!
Moises Alves de Oliveira (Londrina, PR)

*

Enxergar a educação sob o ponto de vista econômico é típico desse mundo podre em que vivemos. E a Folha não perde a chance de deixar sua marca de porta-voz do neoliberalismo.
Waldemar Rodrigues Pereira Filho (São José do Rio Preto, SP)

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.