Posto Ipiranga está sem combustível, diz leitor

Leitor pergunta quem investiria aqui, com presidente aloprado

Posto Ipiranga
"Por estabilidade política e Orçamento, Bolsonaro abandona antigos aliados" (Mercado, 22/9). Posto Ipiranga sem combustível. Só loja de conveniência.

Charge de Iotti - Iotti


Paulo Sérgio Arisi (Porto Alegre, RS)


Investimento estrangeiro
"Investimentos estrangeiros no país caíram 85% em agosto, diz BC" (Mercado, 23/9). Qual investidor vai ter coragem de investir no Brasil com um aloprado na Presidência e metade de nosso meio ambiente pegando fogo? Eles sabem o que está realmente acontecendo por aqui, não as historinhas de fadas que nos contam.
Paulo Aguiar (Rio de Janeiro, RJ)

*

... graças aos problemas ambientais e ao nosso querido STF.
Geraldo Leonardi (Curitiba, PR)


STF
"Investigado, Flávio tenta aproximar Bolsonaro de juiz evangélico por vaga no STF" (Poder, 23/9). Brasil rumo à teocracia.
João Vitor Moreira (Corumbá, MS)

*

Está passando da hora de esse senhor, o tal Flávio Bolsonaro, ser cassado. Que país é este que admite todo tipo de manobra para livrar da Justiça os abonados?
Vicente Alfredo de Paula Rodrigues (Brasília, DF)

O presidente faz chacota com o povo. Que critérios são esses? Tomar café e cerveja e ser evangélico? Tenho asco deste presidente ("Bolsonaro diz que novo ministro do STF tem que 'tomar cerveja' com ele", Mônica Bergamo, 22/9).
Arnaldo Nogueira Ferreira (Rio de Janeiro, RJ)

*

"Evangélico" acabará virando verbete sinônimo de aproveitador, oportunista, fraudador, pilantra.
Claudio Resende (Macapá, AP)

*

O Brasil é um país laico. Por que esse senhor insiste em abrir espaço no seu governo para profissionais da fé? Ou será que vai escolher um general para ministro do STF? Espera-se de tudo no cenário político atual, menos aquilo que foi sumariamente proposto na campanha —para espanto e desagrado daqueles que entregaram-lhe seu voto confiando em seus projetos.
Regina Ulhôa Cintra (São Paulo, SP)


Família Bolsonaro
"Uso de dinheiro vivo sustentou campanhas eleitorais da família Bolsonaro" (Poder, 22/9). Será coincidência o lançamento da cédula de R$ 200?
Luiz Roberto de Assis (São Paulo, SP)

Cédula de R$ 200 - www.fotoarena.com.br



Fiz uma conta aqui: 25 anos, 300 meses, dá R$ 10 mil por mês. Vocês são ridículos. Não têm assunto mais importante? Não têm o que falar e ficam nessa perseguição idiota à família Bolsonaro. Se acharem algo realmente importante, publiquem. Não tenho político de estimação.
Marcelo Pedrosa (Ouro Preto, MG)

*

A questão não é o valor, até porque não é ilegal fazer doações para si mesmo em dinheiro vivo, mas traz evidências de lavagem de dinheiro. A comparação com os desvios do PT não faz sentido.
Marcos Nagl Garcez (Curitiba, PR)


Vacina
"Estudo aponta segurança da vacina, e Doria quer aplicação em dezembro" (Saúde, 23/9) Ótima notícia. Serei a primeira da fila quando a vacina estiver disponível. Doria se saiu imensamente mais preparado do que o presidente no enfrentamento da pandemia. É um fato.
Larissa Bertani (São Bernardo do Campo, SP)

*

Qualquer vacina deverá ser confiável 100 %. Vou esperar muito.
Gilberto Schoncer (Barueri, SP)


Alimentação
Em 2018, estive no Canadá, e lá o Novo Guia Alimentar Brasileiro estava sendo amplamente elogiado como uma revolução nessa área ("Cientistas rechaçam em carta mudança em Guia Alimentar para a População Brasileira", Ciência, 23/9). Foi considerado o mais avançado do mundo e o em melhor consonância com as políticas ambientais e de saúde. Não há por que questioná-lo. Nos momentos em que acertamos, há grupos que querem nos sabotar, sabotar nossos filhos e sabotar as gerações futuras.
Decio Hernandez Di Giorgi (Campinas, SP)


Diversidade
"Trainee para negros é mais que constitucional, diz juíza", Mercado, 22/9). Mais uma vez, Luiza Trajano mostra seu compromisso com o social ao oferecer treinamento em sua própria empresa, às custas de seus próprios recursos, para pessoas negras, dando a elas talvez a única oportunidade de aprimoramento para crescer na vida. Proposta louvável, a ser repetida por outros empresários.
Raul Cutait, professor da Faculdade de Medicina da USP (São Paulo, SP)


Volta às aulas
Em relação ao editorial "Cálculo político" e ao artigo "Coitada da escola" (Opinião, 18/9), reitero que, mesmo diante da pressão pelo retorno imediato das aulas presenciais, a retomada ocorrerá quando a Secretaria da Saúde, amparada pelo inquérito sorológico e demais indicadores técnicos, entender que exista segurança mínima para alunos e profissionais de educação. A gestão decidirá com base em critérios médico-científicos, procedimento que garantiu atendimento aos paulistanos e evitou a perda de 423.476 vidas na cidade desde o início da pandemia.
Marcus Sinval, secretário de Comunicação da prefeitura (São Paulo, SP)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.