Leitores comentam eleição em São Paulo

Provocação de filho de Bolsonaro é tema de comentários

Eleições
"Boulos recebe diagnóstico de Covid e inicia isolamento; debate é cancelado" (Poder, 27/11). Todos conhecem o poder da retórica e a capacidade analítica de Guilherme Boulos. Ele só teria a ganhar se fosse ao debate na Globo. Inclusive ele propôs que o debate fosse feito de forma virtual. Então é papo de bolsonarista dizer que Boulos fugiu do debate.
Dilson Ferreira (Maceió, AL)

*

Até o repórter Pedro Bial faz entrevistas por meio de videoconferência. O que houve? A Globo não pagou a conta da internet ou apenas perdeu a vergonha de favorecer o tucano da vez?
José Roberto Pereira (Curitiba, PR)

*

Quer dizer que o candidato Guilherme Boulos e a deputada federal Sâmia Bomfim vão ficar trancados em casa e não votarão neste domingo? Bom! Dois votos a menos para o fantoche do Lula!
Silas Costa Ferreira Júnior (São Paulo, SP)


"Boulos diz em sabatina Folha/UOL que cidade desigual é ruim para todos e que atrito com a Câmara é superdimensionado" (Poder, 27/11). Foi vergonhoso o final da sabatina com Boulos. O tempo de fala nas considerações finais escancarou o ódio da jornalista. Nada diferente do que vimos no Roda Viva e na CNN. Fica claro quem é o candidato da grande mídia.
Diego Segobia (São Paulo, SP)

*

Estou ainda pasma com a condução da sabatina. O final foi com chave de ouro: a entrevistadora fez uma enorme pergunta, ocupando o espaço de Boulos, que nem teve tempo de responder e de fazer as alegações finais. Fiquei pensando se foi amadorismo ou má-fé. Creio que má-fé.
Miriam Willers Fagundes (Maringá, PR)

*

Isso não é jornalismo. Duas entrevistas totalmente assimétricas. E esse papelão na última pergunta. Está difícil acreditar no jornalismo.
Beatriz Prado (Rio de Janeiro, RJ)

Covas e Boulos em debate - Mariana Pekin/UOL

*

Parabenizo a Folha e seus profissionais por sabatinarem os candidatos de forma tão isonômica. A democracia agradece. O corte na fala final de Boulos me pareceu involuntário, apesar de providencial, visto que ele nunca aceita o contraditório. Suas falas sempre começavam com o surrado "não é verdade que...".
Wilson Oliveira (São Paulo, SP)

Bolsonaro e o Brasil
"Bolsonaro cumpre promessa e desconstrói o Brasil" (Reinaldo Azevedo, Poder, 27/11). E os defensores do incapacitado ficam irritados com a verdade. O Brasil tem o seu pior inimigo desde 1º.jan.2020.
Edson Carlos Morotti (Curitiba, PR)

*

Além da sórdida elite econômica, há a presteza das Forças Armadas e o silêncio macabro do senhor procurador-geral da República. Quanto ao centrão, inescrupuloso, este já tem de longa data a sua cara estampada em Roberto Jefferson e equipe.
Mauro Tadeu Almeida Moraes (São Paulo, SP)

*

"Máscara é último tabu a cair, diz Bolsonaro sobre prevenção da Covid" (Poder, 27/11). Como o Brasil pôde eleger esse senhor para governar o país? Ou melhor, não governar. Irresponsável, negacionista... Centenas de vidas poderiam ter sido poupadas se esse senhor tivesse outra postura em relação à pandemia.
Heloísa Helena Cidrin Gama Alves (São Paulo, SP)


China
"Em carta, Itamaraty diz que reação da China a Eduardo foi ofensiva" (Mundo, 27/11). Quando a razão de Estado recua para a defesa da família... Séculos de regressão política.
Remy J. Fontana (Florianópolis SC)

*

A artimanha bolsonarista de colocar um ofendido no papel de ofensor fez da China o novo eleito. Deixou clara a audácia e a crescente falta de sentido das ações da ala ideológica do governo. Mais lamentável é ver o Itamaraty reduzido a advogado de defesa de um filho do presidente.
Éder Garrido (São Paulo, SP)


Dão uma vergonha enorme e um imenso constrangimento, a todos nós brasileiros que temos um mínimo de conhecimento, as palhaçadas e as estultices cometidas diariamente pela família Bolsonaro e por seus asseclas. Até quando nós conseguiremos suportar isso tudo?
Dourivan Cardoso Dias (Araguaína, TO)


Mortadecchios e capuletonaros
O colunista Renato Terra ("Abrace um bolsonarista arrependido", Ilustrada, 27/11), mais uma vez, nos traz aquele resumão revelador e alentador da nossa situação, iluminando os nossos coraçõezinhos tão sombrios e enfurecidos com a cisão de nossa sociedade em duas famílias, a saber, os Capuletonaros e os Mortadecchios. E essa cisão nós nem sabemos mais se foi também uma culpa do PT. Olhando bem, fica claro quem é que tem mais condições de reconduzir o debate para a normalidade.
Sergio Sambi Colotto (São Paulo, SP

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.