Leitores comentam coluna de Ruy Castro

Leitor elogia texto sobre Lourenço Diaféria

Bolsonaro
Queria acrescentar ao texto de Ruy Castro ("Novas definições para Bolsonaro", Opinião, 29/1) o adjetivo que faltou na lista e que, para mim, é o mais aplicável àquele homem: ignorante. E aproveito para protestar fortemente contra o uso do nome de animais para desqualificar seres humanos. Isso é uma ofensa grave aos humildes e fofos jumentos, jericos e asnos e a outras nobres cavalgaduras, que em dignidade não se comparam a nenhum humano, menos ainda àquele.
João Guizzo (São Paulo, SP)

Parabéns a Ruy Castro pela coluna "Novas definições para Bolsonaro". Certamente, se nosso alfabeto fosse além da letra Z, os senhores encontrariam mais adjetivos para o nosso mandatário. Só não gostei da comparação com alguns animais da nossa fauna --é muito ofensivo a eles.
Shiguero Ganeco (Jaboticabal, SP)

O que o digno jornal em que Ruy Castro escreve fez até hoje foi chamar o brasileiro de "cretino, grosseiro, despreparado, irresponsável, omisso, analfabeto, homófobo, mentiroso, escatológico, cínico, arrogante, desequilibrado, demente, incendiário, torturador, golpista, racista, fascista, nazista, xenófobo, miliciano, criminoso, psicopata e genocida". Ainda bem que o nobre escriba é brasileiro
Claudio Belodi (Jaboticabal, SP)

Ruy Castro ofereceu um esplêndido vocabulário de adjetivos e substantivos para classificar o dito presidente do nosso desgoverno. Muitos eu já havia até esquecido. Mas poderia acrescentar algo mais: corrupto até os ossos, já que passou 30 anos enriquecendo, afanando salários de assessores fantasmas nomeados exclusivamente para isso.
Moisés Spiguel (Campinas, SP)


Apoio de quem?
Tenho lido nesta Folha e em outros veículos de comunicação que 58% do empresariado apoia o presidente Bolsonaro e 71% são contra seu impeachment. Gostaria que o jornal esclarecesse quais setores esse empresariado representa e por que apoiam o presidente.
Maria Angela Silva Bacellar (São Paulo, SP)

Humanos da Folha
Leitora e assinante da Folha há muitos anos, fiquei muito contente com a reportagem sobre Lourenço Diaféria ("Pacato, Lourenço Diaféria publicou crônica que gerou crise com militares", Corrida, 29/1). Por muitos anos, li a crônica diária de Lourenço Diaféria. E eram muito saborosas. Desde que foi lançado esse projeto "Folha 100, Humanos da Folha", fiquei aguardando ansiosamente por este dia. E eis que Diaféria está presente agora naquele espaço. Obrigada, Folha, por essa lembrança tão boa!
Janise Bottin Suardi (Osasco, SP)


Ler
Os grandes escritores são aqueles que, falando sobre uma personagem, refletem o ser humano universal. Assim acontece com Machado, Guimarães Rosa e outros. São fundamentais. O pobre favelado, o rico empresário e o venal político estão em Machado. Não podemos esquecer isso ("Ler Machado", Claudia Costin, Opinião, 29/1).
Gésner Batista (Rio Claro, SP)

Como um grande admirador de Machado de Assis, concordo com a colunista Claudia Costin. A linguagem de Machado é difícil, sim, e adolescentes não estão acostumados a ler. A cada ano que passa, a leitura fica mais distante dos jovens. É totalmente compreensível que seja difícil para um jovem gostar de ler a partir de Machado; ele está em outro nível. O primeiro passo para os jovens gostarem de ler Machado é começando com leituras fáceis. Um dia, serão admiradores do maior escritor brasileiro.
Rafael Braga Neves, 17 anos (Brasília, DF)

Congresso
A infâmia se repete no Congresso Nacional. Apesar da imensa crise econômica e sanitária na qual o país está atolado, nossos parlamentares negociam seu compromisso com a nação no varejo da Câmara e do Senado, trocando-o por emendas, verbas e nomeações. Nossa classe política não perde a oportunidade de demonstrar que do Planalto Central do Brasil jamais sairá esperança ou decência.
José Tadeu Gobbi (São Paulo, SP)

Como assinante desta Folha há mais de 30 anos, pergunto por que o jornalismo deste jornal não pergunta aos nove candidatos à presidência da Câmara, para testar-lhes o caráter, se eles são favoráveis às mais de cinco dezenas de representações sobre o impeachment contra o irresponsável presidente da República.
Bismael Batista de Moraes (São Paulo, SP)

Covid
"Consórcio de veículos de imprensa lança campanha em prol da vacina contra a Covid-19" (Saúde, 29/1). Todos os idosos deste país, sem exceção, inclusive militares, milionários, fazendeiros, intelectuais, industriais etc. estamos numa situação semelhante ao gado indo em direção ao matadouro. Hoje, alguns podem escapar, mas, no futuro, com novas cepas, isso será imprevisível.
Sérgio Dias (Rio de Janeiro, RJ)


Segurança de dados
Entregar o controle do Sistema de Registro Eletrônico de Imóveis (SREI) para um Operador Nacional de Registro, que concentrará os dados de todas as transações cartorárias do país, viola a privacidade digital dos brasileiros e é inconstitucional. Além de ser um risco para abusos, estabelece um monopólio sem licitação para uma entidade que nem sequer é responsável pelo serviço e que será financiada pelo Programa Casa Verde e Amarela, do governo Federal.
Allan Ramalho Ferreira, defensor público do estado (São Paulo, SP)

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.