Leitores debatem impeachment de Bolsonaro

Condenação de Eduardo Bolsonaro é tema de comentários

Impeachment

"Colapso em Manaus e derrapada na vacinação fortalecem base jurídica para impeachment de Bolsonaro" (Poder, 21/1). Sou a favor do impeachment de Jair Bolsonaro já! Ele está matando em Manaus por falta de oxigênio, está matando no Brasil todo por falta de vacina. Não fez nada para acelerar a vacinação contra a Covid-19. Não vou mais vê-lo matando as pessoas a sangue frio na minha frente todos os dias e não dizer nada. Impeachment!
Roberto Mendes Borges (São Paulo, SP)

Quando um presidente, em meio a uma pandemia que já havia levado mais de 180 mil vidas (dez.2020) diz que a melhor vacina é contrair o vírus; quando atua contra as medidas preventivas, colocando em alto risco a saúde e a vida das pessoas; quando diz que "todos nós vamos morrer", fica clara a sua intenção genocida.
Joaquim Luís Franco (Goiânia, GO)

Há um elemento decisivo para a evolução do impeachment de Jair Bolsonaro: o fim do auxílio emergencial. Os "invisíveis", definição do ministro Paulo Guedes, terão de sair em busca de sustento e encontrarão uma massa de desempregados e subempregados. Dilema miliciano: furar o teto de gastos ou dar de ombros à turba desassistida? Em ambos os casos, o resultado será o seu impeachment.
Joao Marcelo Ramos Pires (Teresópolis, RJ)

Bela reportagem! Parabéns aos jornalistas que a produziram!
Robinson Elvas Rosal (Teresina, PI)

Atos ou declarações de Bolsonaro que podem ser enquadrados como crime de responsabilidade
Atos ou declarações de Bolsonaro que podem ser enquadrados como crime de responsabilidade - Gustavo Queirolo/Núcleo de Imagem


Qualquer aluno do curso de direito que esteja entre o sétimo ou o oitavo período e que tenha um mínimo de estudo consegue destruir esses argumentos falaciosos da reportagem.
Glabson Coelho (Recife, PE)

Se seguíssemos a Constituição e as leis do Estado democrático de Direito, pelo menos um terço do Congresso Nacional estaria atrás das grades e metade do Supremo Tribunal Federal já teria sofrido impeachment.
Yuri Stuart Lima Leite (Crato, CE)


Condenação
"Justiça condena Eduardo Bolsonaro a indenizar repórter da Folha por danos morais" (Poder, 21/1). Eles não ligam para as indenizações, pois a grana sai do bolso do contribuinte. É uma vergonha!
Antonio Ferreira da Costa Neto (Belo Horizonte, MG)

Tão desqualificado moralmente quanto o pai, que o educou, um psicopata corrupto.
Antonio Melo (São Paulo, SP)

Covid
Por que a Folha não fala nada sobre os hospitais de campanha que foram desativados pelo estado de São Paulo e pela prefeitura da capital? Agora que estamos vivendo a segunda onda não poderíamos dizer que esses hospitais seriam muito úteis e que foram desativados insensata e precocemente?
Angelo Alexandref Stefanovits (Santo André, SP

Em relação à coluna de Gabriela Prioli desta quinta ("Bolsonaro sequestrou o Brasil", Opinião, 21/1), digo que a reação de Pazuello não foi sintoma de alucinação, mas, sim, de pequeneza.
Ana Cláudia Galvão Galrao (São João del-Rei, MG)

Fura fila
O grande serviço que as redes sociais prestam é permitir que os imbecis sejam identificados. Os espertinhos, em total desrespeito à população e, principalmente, aos grupos de risco, furam as filas de vacinação. Cometem atos imorais --talvez até crimes. E essas atitudes contaminam autoridades, como em Manaus, onde o prefeito proibiu a divulgação nas redes sociais de fotos de pessoas vacinadas.
Antônio Dilson Pereira, advogado (Curitiba, PR)

Funcionário de saúde fazem fila para receber a vacina Coronavac no HC, em São Paulo - Eduardo Anizelli/Folhapress


Estão circulando nas redes sociais imagens de filhos de políticos e "bacanas" que não fazem parte de grupos de risco mas estão recebendo a vacina contra a Covid-19 apenas por serem "melhores que os outros". Será verdade? E se for, como permitem um deboche desses?
Rubens Sayegh (São Paulo, SP)


Folha
Vocês usaram uma página inteira nesta quinta-feira para falar bem do jornal ("Folha encerra a década como o jornal líder em número de assinantes no país", Poder, A9). Não entendo como isso pode ser uma notícia de interesse público. Seria mais adequado colocar na página A2, como editorial. Por favor, menos autoelogio e mais notícias!
Adriano Boscolo (São Paulo, SP)

Parabéns à Folha! Parabéns por décadas de conquista com informação e bom senso; mesmo contra todos os descaminhos da história recente do país.
Marcio de Lima (Rio de Janeiro, RJ)


Comprar
Se o crescimento econômico é parte da melhora da vida, não precisa ser alimentado só pelo consumo, pois seu excesso pode ter efeitos negativos no PIB pela produção de lixo e ser deletério para a natureza. Por isso, surpreende a reportagem "Com vacina, voltará a compra por impulso, diz presidente da Mondial" (Mercado, 20/1). Para o cumprimento da Agenda do Desenvolvimento Sustentável, a necessidade, não o impulso, precisa entrar na agenda.
Marco Akerman, professor da Faculdade de Saúde Pública da USP (São Paulo, SP)


Agrotóxicos

Charge de Angeli sobre excesso de agrotóxicos nos alimentos - Angeli

São alarmantes os dados sobre agrotóxicos na alimentação humana. E é impressionante a omissão dos órgãos responsáveis pela fiscalização contra o uso abusivo por parte dos produtores. Agora, órgãos representativos da sociedade estão se manifestando contra o projeto de lei apresentado pelo ministro da Agricultura, Blairo Maggi, quando era senador para flexibilizar o uso de agrotóxicos no Brasil, maior consumidor mundial desses produtos.
Marcos Tito (Belo Horizonte, MG)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.