Leitor elogia as 'tétricas' fotos de Lalo de Almeida

'Este governo rompe todos os limites, é insuportável', diz Sandro Carvalho

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tétrica

Que a tétrica imagem captada magistralmente pelo fotógrafo Lalo de Almeida permaneça como estandarte para que o mundo nunca se esqueça como tratamos o meio ambiente na era Bolsonaro. E parabéns pelo prêmio. Pena ter sido com a morte.
Arlindo Carneiro Neto (São Paulo, SP)


Demissão antiambiente
"Com demissão de delegado que cumpriu seu dever, Bolsonaro afronta o Estado" (Opinião, 16/4). O que mais precisa acontecer para que seja tirado esse cidadão da Presidência? Ele não tem a menor condição ética e moral de exercer nenhum cargo político. Que dizer ocupar a posição de presidente de uma nação.
Katycia Nunes (São Paulo, SP)

É o serviço público brasileiro que a Folha e a maioria dos órgãos de imprensa se esforçam diuturnamente para desmoralizar, tentando convencer a sociedade de que é melhor acabar com ele. A inanição por falta de recursos é pior do que essa atitude de Ricardo Salles; a política da precarização tem seus pais e padrinhos.
Geraldino Gustavo de Queiroz Teixeira (Palmas, TO)

O ex-superintendente da Polícia Federal no Amazonas, Alexandre Saraiva, que disse que o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, "defende infratores ambientais" - Reprodução Globo News

Este governo rompe todos os limites. É insuportável. É preciso dar um basta.
Sandro Carvalho (Curitiba, PR)

Infelizmente, neste governo, quem é competente é punido, e os incompetentes são premiados, numa total inversão de valores. É uma vergonha para o país. O Brasil está isolado do mundo por conta dessa má administração.
Marilda C. Machado (São Paulo, SP)

E daí, Folha? Mais um editorial e o ignóbil do mal continua lá. Temos que unir todas as pessoas de bem e expulsar este desgoverno, já.
Antonio Ferreira de Castilho (Dois Córregos, SP)


Futuro?
O artigo de Rogério Cezar de Cerqueira Leite desta sexta ("Era uma vez um país do futuro", Tendências / Debates, 16/4) é digno de ser emoldurado e guardado para mostrar aos nossos netos. Talvez eles nos perguntem por que lhes deixamos esse legado deplorável, essa profusão de homens inúteis e amantes de si mesmos.
Luiz Carlos Vieira (Indaiatuba, SP)

Ao ler o artigo do Rogério Cezar de Cerqueira Leite senti uma grande melancolia... do que fomos e do que poderíamos ter sido. Agora só nos resta esse poço sem fundo de mortes e destruição provocadas por um psicopata e sua equipe.
Martha Tanizaki (São Paulo, SP)

Os artigos de Fábio Terra ("Bolsonaro, os Bolsonaristas e o Bolsonarismo", Tendências / Debates, 16/4) e do professor Rogério Cezar de Cerqueira Leite já valeram a assinatura anual do jornal.
Cassiano Alves Macedo, professor aposentado (Suzano, SP)


A seção Tendências / Debates desta sexta "está de arrancar sabiá do galho". Parabéns.
Ademar G. Feiteiro (São Paulo, SP)


Covid


O comportamento da Índia no enfrentamento da Covid-19 lembra muito o do Brasil —ou, pelo menos, o de algumas de nossas ditas autoridades. Lá na Índia, o ministro-chefe afirmou que "ninguém será impedido em nome da Covid-19 de participar de festivais religiosos, pois temos certeza de que a fé em Deus vai superar o medo do vírus" ("Índia vê Covid disparar em meio a festival religioso e comícios", Mundo, 16/4). E por aqui? Nunes Marques não age assim?
Elisabeto Ribeiro Gonçalves (Belo Horizonte, MG)


CPI da Covid
Causou-me indignação ler a entrevista do senador Ciro Nogueira ("CPI foi criada para combate político e atingir Bolsonaro", Poder, 16/4). Esse indivíduo é incapaz de responder com seriedade aos questionamentos formulados pelos jornalistas e demonstra seu viés em defesa do indefensável. Advoga em defesa do governo nas ações criminais ocasionadas na gestão da pandemia, tanto pelo presidente Bolsonaro como pelo general Pazuello. Suas respostas beiram o escárnio.
Auro C. Oliveira (Salto Grande, SP)

Em 1992, tivemos o impeachment (renúncia) de Collor, "apenas" por corrupção e fraudes. Em 2016, sofremos o impeachment de Dilma, por "suposto" desrespeito à Lei Orçamentária e à Lei de Improbidade Administrativa. Em abril de 2021, temos claras conclusões —de comissão da OAB, de juristas nacionais e de comissões e juristas internacionais— de que Bolsonaro cometeu crime contra a humanidade. Como a sociedade brasileira ainda não o retirou do poder —o que provavelmente teria preservado dezenas de milhares de vidas?
João Zanetic, professor sênior do Instituto de Física - USP (São Paulo, SP)


STF e o PT
Pelas últimas decisões do STF, está provado que a corte virou um puxadinho do PT. E houve a famosa "troca com troco". A máscara caiu. Agora podemos sem dúvida dizer que torcem pelo Lula e pelo PT —e, claro, pela corrupção.
Antonio José Gomes Marques (São Paulo, SP)

O recado do STF foi claro. O crime compensa e vale a pena. O STF disse também que nosso Judiciário é inútil e que nossos juízes não merecem nenhum respeito nem consideração. Só nos resta a justiça divina.
André Coutinho (Campinas, SP)


Menino assassinado


Muito importante a cobertura da Folha para o caso do garoto Henry. Por mais que seja revoltante e triste esse brutal assassinato de uma criança indefesa, é a mídia que pode ajudar a que se faça justiça. Como sabemos bem, poderosos no Brasil, geralmente não pagam por seus crimes ou conseguem penas brandas. Que os assassinos do menino de quatro anos sejam exemplarmente punidos. Justiça por Henry.
Lígia Maria de Oliveira (São Paulo, SP)

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.