Leitor se identifica com desmemória de Angeli

Leitores comentam autorização de culto em igrejas

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Esse cara sou eu

Quadrão
Quadrão de Angeli publicado na Ilustrada em 5 de abril de 2021 - Angeli/Folhapress


O cara do Quadrão publicado nesta segunda-feira não é o Angeli. Sou eu (Ilustrada, 5/4).
Antonio Carlos Orselli (Araraquara, SP)


Covid e igreja
"Gilmar Mendes veta cultos em SP e Fux leva tema para plenário na quarta (7)" (Mônica Bergamo, 5/4). Pior é saber que vai piorar, visto que mais uma vaga se abrira no STF com a aposentadoria de Marco Aurélio. E assim, aos olhos de todo o mundo, Bolsonaro vai aparelhando com seu pessoal as instituições-chave da governança do país. Vejam quantos são os pedidos de impeachment, que espelham o desespero de quase 70% da sociedade. E nada se faz.
Cláudio Lourenço Rocha (São Paulo, SP)

Kassio não vota pensando em salvar vidas numa pandemia tão horrorosa; pensa apenas em agradar quem o indicou ao cargo, pensa só no chefe. Para ele, as pessoas que forem ao culto e se contaminarem que se virem; problema delas se não tiver UTI.
Leonilda Pereira Simões (São Paulo, SP)

A igreja é a grande responsável pelos benefícios econômicos, sociais e espirituais da sociedade. Apesar das guerras que a igreja promoveu, se não fosse ela a humanidade não existiria mais.
David Molero (Jundiaí, SP)


Sofismas a gosto
O advogado e colunista Thiago Amparo, ao escrever sobre a decisão de Kassio sobre as igrejas, dá na verdade a receita de como vem sendo tratado o direito no Brasil ("Entre a cruz e a lei, Nunes prefere a morte", Cotidiano, 5/4). Pega-se uma argumentação mambembe, acrescenta-se uma colher de verborragia, algumas frases de efeito, umas pitadas de semântica, um pouco de saber jurídico e sofismas a gosto. Serve-se monocraticamente.
Arlindo Carneiro Neto (São Paulo, SP)


Boiada não
Tem todo o meu respeito e admiração o chefe da Polícia Federal no Amazonas, Alexandre Saraiva, por não se curvar diante do ministro Ricardo Salles, responsável pela destruição de nossas florestas ("Na Polícia Federal não vai passar boiada, diz chefe da PF no Amazonas após críticas de Salles", Ambiente, 5/4). A Polícia Federal sempre foi respeitada por sua conduta independente e tem que continuar sendo digna, com imparcialidade.
Henrique Ventura dos Reis (Rio de Janeiro, RJ)

Esse ministro do Meio Ambiente parece mesmo defender o outro lado, não o meio ambiente. O que faz no ministério até agora? Lastimável.
Marilda C. Machado (São Paulo, SP)


2018
É perfeitamente compreensível que tantas pessoas estejam tentando justificar o voto dado em 2018 (só que não). Afinal, quem poderia imaginar que um sujeito que antes e durante a campanha se mostrava um psicopata tosco e imoral haveria de se revelar um psicopata tosco e imoral, não é mesmo?
Celso Balloti (São Paulo, SP)


Lento, gradual e seguro
A (des)politização da política. O que está parecendo é que estamos em um processo "lento, gradual e seguro" de volta à ditadura militar ("A (des)politização dos militares", Ombudsman, 4/4).
Vitória Taborda (Rio de Janeiro, RJ)

Brilhante o artigo de João Roberto Martins Filho sobre o papel das Forças Armadas no governo (desgoverno?) Bolsonaro ("Candidato de militares, Bolsonaro agora dá motivo para que voltem aos quartéis", Ilustríssima, 4/4). Texto interessante, didático e esclarecedor, de alguém que entende do assunto.
Sônia Maria de Faleiros Costa Alcalay (São Paulo, SP)


Sem eficácia
"Bolsonaro elogia e anuncia visita a prefeito de Chapecó defensor de tratamento sem eficácia contra Covid" (Saúde, 5/4). É tudo o que a peste quer: um governo ineficaz em sintonia com tratamentos ineficazes.
Mateus Sá (Goiânia, GO)

Pessoas morrendo e Bolsonaro irá passear em Chapecó (SC) para estimular a aglomeração e a não utilização de máscaras e fazer propaganda de remédios sem eficácia comprovada.
Bianca Moreira (Brasília, DF)

Enquanto nos aproximamos de quase 350 mil mortos, Bolsonaro, muito ocupado, ligou para uma rádio do interior do RS para parabenizar uma médica que "inovou" no tratamento contra a Covid ao prescrever hidrocloquina na nebulização; um feito inédito, merecedor de um Prêmio Nobel. Agora vai visitar esse brilhante prefeito para parabenizá-lo pelo incentivo de um tratamento sem eficácia. Até quando suportaremos?
Antonio Linhares (Parnamirim, RN)

Os jornalistas precisam parar de escrever "após diversos estudos não terem atestado que esses medicamentos funcionam", porque deixa margem a dúvidas. É preciso dizer "após diversos estudos terem atestado que esses medicamentos não funcionam".
Alexandre Assis (São Vicente, SP)

Vida e voto
"Quantas vidas cabem em um voto?" (Tendências / Debates, 5/4). Traduzindo para os que precisam: quanto maior o apoio ao miliciano genocida, maior a quantidade de CPFs cancelados.
Antonio Carlos dos Reis (São Paulo, SP)

Darwinismo funcionando. Os que se adaptam sobrevivem; os demais morrem.
Vera Lúcia (Campinas, SP)

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.