Leitores comentam ação policial que causou 28 mortes em Jacarezinho

Bolsonaro e Hang numa moto e a polícia escoltando; 'Está montada a cena do inferno', diz leitor.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Barbárie
"Chega de barbárie" (Opinião, 8/5). A violência urbana em nosso país já é endêmica e causa uma série de problemas, tanto no cotidiano como no emocional da população. Falta uma política séria para dar uma resposta a essa situação a que chegamos, em grande parte gerada pela falta de uma educação universal de qualidade e na qual a diferença de renda é enorme.
Paulo Silva Barbosa (São Paulo, SP)



É a anomia que tomou conta do país sob Bolsonaro. Incêndio, destruição de floresta, grilagem, roubo de madeira, chacinas, liberação de armas, agravamento da pandemia. O roubo de madeira e grilagem devem render mais que o tráfico. É cansativo enumerar todas as aberrações deste governo.
Alan Moacir Ferraz (São Sebastião, SP)

Quanto custa o combate às drogas? Quanto custa a corrupção policial e do Judiciário nesse tema? Quanto custa a violência para a sociedade de viciados que são obrigados a roubar bens de suas famílias e cometer furtos para manter o vício? Quanto custam presídios, alimentação e controle dos presos? Muitos dos que são contra a liberação das drogas têm interesse financeiro em manter a situação como está.
Samuel Fagundes (São Paulo, SP)

A solução para o problema das drogas é muito simples: descriminalização total. Droga não é problema de polícia, mas de saúde publica.
Marcos Gandelsman (Recife, PE)


Que editorial mal investigado. Faltou ouvir os dois lados. Vocês estão mostrando total parcialidade. Onde estão entrevistas com os policiais? A polícia não é um grupo independente, ela responde às ordens do Estado. Se está difícil combater as drogas elas devem ser liberadas? Isso parece coisa de preguiçoso: "deixe as crianças quebrarem a casa que eu tenho mais o que fazer".
Milene Ezequiel Grazioli (Bauru, SP)

A sugestão de que a legalização de algumas drogas seria o caminho correto indica falta de conhecimento sobre as várias dimensões que caracterizam o tráfico. Legalizem a cocaína e imediatamente uma nova droga, mais potente, aparecerá para substituí-la.
Cloves Oliveira (Valinhos, SP)

"Mortes ocorreram em 12 pontos do Jacarezinho; homem foi achado em cadeira de plástico e sem arma" (Cotidiano, 8/5). Há tecnologia que permite pôr uma câmera no policial, registrando tudo a sua frente. Já deveria ter sido implantada.
João Batista de Júnior (Mogi Mirim, SP)

"Polícia foi recebida com brutalidade, fuzis e granadas no Jacarezinho, diz governador do Rio" (Cotidiano, 7/5). Esse morticínio apenas aumentará a violência na região metropolitana do Rio. O Estado precisa estar presente por ações que promovam a educação e a cidadania. Pelo caminho da violência, nem uma guerra civil vai resolver essa situação.
Valdo Neto (Jandira, SP)

Uma câmera sempre ligada deveria fazer parte do uniforme do policial. Isso serviria, inclusive, para protegê-los de falsos testemunhos.
Lorena Machado Fabrico (Brasília, DF)


Covid
"Bolsonaro repete ameaça de decreto e faz novo ataque à CPI da Covid: 'Não encha o saco'" (Poder, 8/5). Presidente, o senhor é apenas o síndico; o prédio é meu, é do meu vizinho, do outro vizinho, é do vizinho do andar de baixo, do andar de cima... Ponha-se em seu lugar!
Antônio João (Brasília, DF)

É um show de horrores. Primeiro a foto do velho da Havan —que perdeu a mãe por Covid-19— na garupa de Bolsonaro, os dois sem máscara e sem capacete. Depois, milhares de pessoas aglomeradas gritando mito, e também sem máscara. Isso só nos mostra o quanto o Brasil, com a eleição presidencial de 2018, caminhou a passos largos rumo à falta de bom senso, de respeito às leis e de civilidade.
Bianca Moreira (Brasília, DF)

O presidente Jair Bolsonaro e Luciano Hang circulam de moto, sem capacete, após a cerimonia de inauguração da Ponte do Abunã, sobre o Rio Madeira
Bolsonaro e Luciano Hang circulam de moto, sem capacete, após a cerimonia de inauguração da Ponte do Abunã, sobre o Rio Madeira - Planalto


Um é sonegador; o outro é miliciano. E a Polícia Federal escoltando os dois, pronta para pedir uma propina. Está montada a cena do inferno.
Márcio Pella (Vila Velha, ES)

Neste domingo, Dia das Mães, no mínimo 420 mil famílias brasileiras não vão comemorar a data. Falta dizer algo mais?
Lafayette Pondé Filho (Salvador, BA)


Maranhão, 2022
"Lula acena para PDT no Maranhão, afronta Ciro e chacoalha base de Flávio Dino" (Poder, 8/5). O que o PT precisa realmente é de um projeto claro e largar a muleta do personalismo lulista, que já provou a sua inconveniência no desastre sucessório com Dilma Rousseff.
Sérgio Pombo (Belém, PA)

Os ex-presidentes Lula e José Sarney se cumprimentam durante encontro em Brasília nesta quinta-feira (6)
Os ex-presidentes Lula e José Sarney se cumprimentam durante encontro em Brasília nesta quinta-feira (6) - Ricardo Stuckert/Divulgação


Candidatos fazendo política. Isso é ótimo para o país. Não se chega a lugar nenhum sem diálogo e alianças. O que aconteceu em 2018 foi um ponto fora da curva que não se repetirá em 2022.
Felipe José (Cabreúva, SP)

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.