Leitores lamentam morte de Jaime Lerner e Nelson Sargento

'Deu depoimento baseado no conhecimento e na verdade', diz leitor sobre Dimas Covas na CPI

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Jaime Lerner
"Morre aos 83 anos Jaime Lerner, urbanista de destaque e duas vezes governador do Paraná" (Poder, 27/5). Inspirada em foto de Daniel Kats, fiz uma ilustração para lembrar que uma cidade pode ser construída para as pessoas. Basta circular por Curitiba e ver a materialidade das ideias sob as gestões do famoso arquiteto como prefeito e governador.
Doralice Araújo (Curitiba, PR)


O Paraná e o Brasil perdem um dos maiores urbanistas, arquitetos e pensadores sobre o desenvolvimento das grandes cidades.
Carlos Alberto Félix da Silva (Parnamirim, RN)


Seu legado foi ter implantado no Paraná o pedágio mais caro do mundo.
Adalberto Carlos Variani (Toledo, PR)


Butantan na CPI
"Diretor do Butantan diz à CPI que ações de Bolsonaro impediram entrega de 100 milhões de vacinas até maio" (Poder, 27/5). Quanto mais a CPI avança na tomada de depoimentos e nas investigações, mais fica claro o que todo mundo já sabe: esse desgoverno é o responsável por dezenas de milhares de mortes por Covid. Em outros países, esse presidente de araque já estaria impeachmado e condenado.
Ednaldo Miranda de Freitas (Coronel Fabriciano, MG)

Parabéns ao senhor Dimas Covas. Deu um depoimento baseado no conhecimento e na verdade.
Oswaldo Casolli Júnior (Campinas, SP)

Dimas Tadeu Covas na CPI da Covid nesta quinta (27) - Jefferson Rudy/Agência Senado


Foram 70 milhões de doses da Pfizer e 50 milhões da Coronavac, 120 milhões de doses que poderiam estar sendo (ou já terem sido) aplicadas. Sessenta milhões a mais de imunizados, quase 30% da população do país. "Palmas" ao genocida e sua turba.
Rafael Pimenta (São Paulo, SP)

"Coronavac desprezada por Bolsonaro evitaria pelo menos 80 mil mortes, diz pesquisador" (Poder, 27/5). Um sucesso alcançado por este capitão expulso do Exército por ser "indigno do oficialato": O nome Bolsonaro será mencionado pelos historiadores em conexão com os grandes crimes cometidos por governos, mesmo num futuro distante.
Ingo Rosler (Rio de Janeiro, RJ)


Pontícula
"Em ritmo de campanha, Bolsonaro cruza o país e inaugura obras que incluem até microponte de madeira" (Poder, 27/5). Tem um monte de prefeitos de cidades pequenas Brasil afora inaugurando obras mais importantes do que essas aí. Vejam a profundidade do poço em que estamos.
Laércio Jean Demarch (Curitiba, PR)

Ponte sobre o igarapé Yá-Mirim (AM), que foi inaugurada por Bolsonaro - Exército


Colocaram uma tábua para ninguém pisar numa poça que surgiu na minha rua. Será que alguém virá inaugurar essa ponte?
Gabriel Nehru (Santos, SP)

Estou terminando de colocar uns eternits no telhado do curral das minhas cabras. Acho que vou aproveitar a campanha política e convidar o Bolsonaro para inaugurar a obra; talvez as cabras até ganhem alguma cloroquina
Renilson Caldeira (Vila Velha, ES)

O que essa ponte vai permitir que seja levado para as populações indígenas? Grileiros para destruir suas aldeias; sífilis, Covid, malária? Garimpeiros para poluir igarapés e rios? Madeireiros para derrubar a floresta?
Armando Moura (São Paulo, SP)

O presidente pelo menos não remete bilhões para o exterior para patrocinar obras gigantescas em países como Cuba, entre dezenas de outros, deixando de aplicar no Brasil.
Emilton de Almeida Rocha (Rio de Janeiro, RJ)


Nelson Sargento
"Morre Nelson Sargento, general do samba e figura histórica da Mangueira" (Ilustrada, 27/5). Nelson Sargento é daqueles homens que justificam Ernest Hemingway: "quem vai ao seu lado é mais importante do que a própria guerra". Nelson combateu o bom combate ao lado dos progressistas. Valeu, baluarte verde e rosa. Para honrar tua memória, não vamos deixar o samba morrer.
Renato Leite Alves (Pará de Minas, MG)


Outra grande perda para este nosso país.
Mauro Sérgio Apolinário (Niterói, RJ)

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.