Não deu certo mandar o general Pazuello se esconder, analisa leitor

'Ele apareceu num shopping sem máscara e agora está se borrando de medo', ironiza leitor

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

CPI da Covid
A logística do Palácio do Planalto, ao decidir mandar o general Pazuello se esconder na selva amazônica, não deu certo. Muito displicente, ele apareceu num shopping sem máscara e agora está se borrando de medo de se apresentar para depor na CPI.
Paulo Sergio Arisi (Porto Alegre, RS)​

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello circula sem máscara no Shopping Manaura, de Manaus - Jaqueline Bastos / Arquivo Pesso

O problema da não representatividade feminina na CPI da Covid expõe o machismo estrutural. O ideal seria a presença natural de mulheres, negros, indígenas...afinal, a CPI é um instrumento da minoria. O medo do senador Ciro Nogueira de que a participação feminina fosse desequilibrar a CPI em favor da oposição não se sustenta justamente por esta razão: a CPI é instrumento de oposição.
Leonardo David Quintiliano, advogado e professor de direito (São Paulo, SP)

Fico aqui pensando como foi que Pazuello chegou a general. Além de despreparado, é covarde; o que está provando ao fugir do seu depoimento à CPI. Fico a imaginar como o general do “um manda o outro obedece” enfrentaria uma guerra.
Sérgio Gobbato (Porto Alegre, RS)

A quarentena de Pazuello para depor na CPI teria que ser decidida por meio de um teste de Covid. Se o resultado for positivo, que aguarde os 14 dias.Caso contrário, que seja convocado imediatamente. O que não se pode é adiar o seu depoimento por conta de uma suposta contaminação de uma pessoa muito suspeita. Tudo que a população deseja é que esta CPI não acabe em pizza.
Ricardo Joaquim Barbosa (São Paulo, SP)

Diferenças laborais
Interessante o artigo de Helio Beltrão sobre o PL1558/2021 (“O que se vê e o que não se vê”, Mercado, 5/5). Mais interessante ainda é analisar a opinião do autor quando compara entre homens e mulheres. Em pleno século 21 falamos do assunto analisando horas de trabalho e jornada? A grande questão é esta: quem entrega mais resultado em menos tempo? Quer dizer que para termos paridade a mulher precisaria “enrolar” um pouco no trabalho para contabilizar mais horas de trabalho? Pensemos...
Gustavo Holzhausen (Ubatuba, SP)

Ameaças de Bolsonaro
“Sob pressão da CPI da Covid, Bolsonaro ameaça Supremo e ataca China” (Poder,5/5). Papagaio bom repete até 14 palavras; é o máximo que consegue. Bolsonaro anda bastante repetitivo. Já o ouvi repetir essas palavras outras vezes. Papagaio repete, não pensa; Bolsonaro apenas repete, não assusta ninguém, muito menos o Supremo.
David Galdino Marques (Praia Grande, SP)

Como brasileiro, da ala pensante, que não sai de casa para fazer tumulto e aglomeração, venho a público pedir desculpas ao embaixador e ao povo chinês pelas coisas que esse miliciano que ocupa a cadeira de presidente do Brasil fala. Ele representa 10% ou 15% do povo brasileiro, que é igual a ele. Mas nós somos a maioria. Somos educados.
Isidro Oliveira (Rio de Janeiro, RJ)

O maior problema é que ninguém no Brasil ainda encontrou a fórmula para conciliar economia e saúde. Bolsonaro tem razão ao querer preservar empresas e empregos, mas arrisca a saúde da nação ao proibir o fechamento em determinadas condições. Eu só quero ver como ficará esse conflito entre o Executivo e o Supremo.
George Carlos da Silva (Mossoró, RN)

Acuado, desprestigiado e chegando ao fim, felizmente.
Paula Cunha Canto de Miranda (Brasília, DF)

Paulo Gustavo
A morte desse artista leva um pedaço de nosso íntimo, porque ele foi a criatura que nos distraiu, nos fez rir nos últimos tempos diante de tantas agruras. Sua extroversão reverberou, fazendo seu humor chegar a um patamar jamais alcançado. Em uma sociedade como a nossa, seus personagens e tipos serão eternos e cruciais. A façanha de Paulo Gustavo, por tudo o que ele era, fez do Brasil um lugar mais tolerante.
Renato Alessandro da Silva (Sumaré, SP)

A reportagem sobre a morte de Paulo Gustavo mostra apenas a ponta do iceberg do que foi o fenômeno Paulo Gustavo. Um humorista caracterizado com uma personagem feminina, fazendo propaganda do Banco do Brasil, só destaca a quebra da trincheira dos padrões “normais” do sistema financeiro e de uma sociedade atrasada e preconceituosa. Vai deixar saudades.
Fábio Lopes (Marília, SP)

Armas
A horrível matança em Santa Catarina (“Homem mata ao menos 5 pessoas em ataque a escola infantil no oeste de SC”, Cotidiano, 5/5) poderia ter sido muito pior. Imaginem se o louco tivesse armas de fogo, como nos EstadosUnidos?
Carlos Brisola Marcondes (Florianópolis, SC)

0
Bicicleta usada pelo jovem de 18 anos, autor do atentando em creche de Saudades - Simone Fernandes



Ambiente
Concordo com as ideias defendidas por Mário Chimanovitch no texto “Apoena Meireles e a história que se repete” (Tendências / Debates, 5/5). Na reunião no dia 22 de abril do ano passado, no Palácio do Planalto, o ministro Ricardo Salles disse que ia “passar a boiada” enquanto a imprensa estivesse cobrindo a pandemia da Covid-19. O governo federal age sorrateiramente, passa uma rasteira na civilização indígena e prejudica o meio ambiente. No Sudeste, registra-se a diminuição de chuva ocasionada pela falta dos rios voadores que vêm da Amazônia. O que será das próximas gerações?
André Cassimiro (São Paulo, SP)

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.