Descrição de chapéu Folha na Sala

Podcast conta história de Anísio Teixeira, um dos maiores defensores da escola pública no Brasil

Educador baiano, que dirigiu e dá nome ao Inep, teria completado 120 anos em julho

São Paulo

O Folha na Sala desta semana conta a história de Anísio Spínola Teixeira, um dos educadores mais conhecidos do país, filósofo e grande defensor da escola pública gratuita, obrigatória, universal e laica.

Nascido em Caetité, no sertão da Bahia, em julho de 1900, Anísio Teixeira era filho de uma proeminente família de produtores rurais. Educado em colégios jesuítas, queria ser padre, mas acabou encontrando outra vocação aos 24 anos, quando assumiu a Inspetoria Geral de Ensino de Salvador (BA) e começou seu caminho na educação.

Teixeira foi um dos principais articuladores do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova, de 1932, um dos manifestos mais importantes da história da educação brasileira. No texto, ele e outros educadores, como Fernando de Azevedo e Lourenço Filho, fundamentam o que deve ser a escola pública brasileira: integral, única para meninos e meninas; universal, sem distinção de classe social ou raça; obrigatória até os 18 anos e laica. Na escola, todos seriam iguais e teriam as mesmas oportunidades.

homem de cabelos penteados para trás, vestindo terno, se debruça sobre mesa para ler algo. foto em preto e branco bastante antiga
O filósofo Anísio Teixeira - Acervo UH/Folhapress

Ao longo da vida, Anísio Teixeira enfrentou oposição de diversos setores, mas apesar dos percalços, sempre voltou para a educação. Foi secretário no Rio de Janeiro de 1931 a 1935. Em 1946, se tornou conselheiro para o ensino superior da Unesco, e no ano seguinte assumiu a secretaria de educação da Bahia.

Durante toda a década de 1950 até 1964, Anísio Teixeira dirigiu a Capes (Campanha de Aperfeiçoamento do Pessoal de Ensino Superior), e o Inep (Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos), onde criou o Centro Brasileiro de Pesquisas Educacionais. Ao lado de Darcy Ribeiro, idealizou e inaugurou a Universidade de Brasília, em 1962.

O Golpe Militar de 1964 cassou os direitos de Anísio e o aposentou compulsoriamente de suas atividades no Ministério da Educação.No dia 11 de março de 1971, Anísio Teixeira era esperado na casa de Aurélio Buarque de Holanda para um almoço, mas nunca chegou.

Dois dias depois, seu corpo foi encontrado no fosso do elevador do edifício. A morte foi anunciada como acidental, mas em 2012 a Comissão da Verdade abriu uma investigação para apurar o caso, que não foi concluída.

Grandes Educadores

Até o fim de julho o Folha na Sala leva ao ar episódios especiais sobre a história de educadores que impactaram e mudaram o modo como se ensina hoje. A série vai ao ar sempre às quintas e estará disponível em todas as plataformas de podcast e no site da Folha.

Ouça também os primeiros episódios da série, sobre Juan de Azpilcueta Navarro, Nísia Floresta, Menezes Vieira e Hemetério José dos Santos.

Para fazer essa série, os produtores contaram com a ajuda de diversos professores e pesquisadores da História da Educação, entre eles, Amarilio Ferreira Jr.(Ufscar), Bruno Bontempi Junior (USP), Célio da Cunha, César Augusto Castro (UFMA), Elaine Teixeira Pereira (UFSC), José Gonçalves Gondra (UERJ), Leziany Daniel (UFPR), Lia Fialho (UECE), Luciano Mendes (UFMG), Marcus Vinicius Fonseca (UFOP), Maria Lúcia Hilsdorf (USP), Marisa Bittar (Ufscar), Marta Araujo (UFRN), Raylane Barreto (UFPE), Roni Cleber Dias de Menezes (USP) e Rosa Chaloba (Unesp).

O Folha na Sala é uma parceria da Folha com o Itaú Social. O programa é produzido e apresentado pelos jornalistas Juliana Deodoro e Ricardo Ampudia. A coordenação do podcast é de Fábio Takahashi e Magê Flores. A edição de som é de Stefano Macarini.

Erramos: o texto foi alterado

Diferentemente do afirmado no podcast, o Centro Educacional Carneiro Ribeiro, em Salvador (BA), contava com quatro escolas nucleares para cada escola parque. O áudio foi corrigido.

 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.