Descrição de chapéu Café da Manhã

Podcast discute eficiência da política contra drogas em vigor no Brasil

Confronto e repressão policial no Rio são tema do episódio que encerra série Estado Alterado

São Paulo

O Brasil é o país com a terceira maior população carcerária do mundo, atrás de EUA e China. Também tem um dos maiores índices de homicídios, e no Rio de Janeiro, as polícias Civil e Militar são responsáveis por 40% de todas as mortes violentas. Parte do que explica esses números é a política do país em relação às drogas ilegais: confronto, repressão e criminalização, principalmente de jovens pobres e negros.

A Folha investigou como vários países lidam com os desafios impostos pela produção, distribuição e consumo de drogas na série Estado Alterado, que chega ao fim nesta terça-feira (13) com o capítulo sobre o Brasil. A reportagem trata dos efeitos da guerra às drogas no Rio de Janeiro, microcosmo da violência nacional.

O episódio do Café da Manhã traz uma conversa com a coordenadora do projeto, Paula Leite, e com o repórter Thiago Amâncio, que participou da série, sobre o que se discute em outros países sobre uso de drogas, como o Brasil atua e que consequências essa política tem na população do Rio de Janeiro.

O programa de áudio é publicado no Spotify, serviço de streaming parceiro da Folha na iniciativa e que é especializado em música, podcast e vídeo. É possível ouvir o episódio clicando abaixo. Para acessar no aplicativo basta se cadastrar gratuitamente.

Ouça o episódio:

O Café da Manhã é publicado de segunda a sexta-feira, sempre no começo do dia. O episódio é apresentado pelos jornalistas Magê Flores e Maurício Meireles, com produção de Jéssica Maes, Laila Mouallem e Victor Lacombe. A edição de som é de Thomé Granemann.

Imagem de capa do podcast Café da Manhã, com o nome do programa escrito sobre vários recortes de jornais. Logos de de Spotify e Folha de S.Paulo podem ser vistas nos cantos
Podcast Café da Manhã - Reprodução
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.