Medo e expectativa marcam a volta de professora às aulas em São Paulo

Podcast traz relato de profissional da rede pública municipal sobre o retorno em fevereiro

São Paulo

Voltar a trabalhar presencialmente durante a pandemia não é algo novo para Gláucia Brito. Em novembro, quando as escolas de ensino médio de São Paulo retornaram com as atividades, a professora de português continuou com as turmas online, mas também voltou à escola onde dá aulas, na zona norte da capital.

Em outubro, ela teve Covid-19 e ainda teve que cuidar da mãe, que também foi infectada. Apesar disso, ela conta que “foi muito bom” voltar. “Eu acho que o medo e a incerteza foram superados pela pela presença, sabe? A gente não consegue viver isolado. Por mais que a gente estabeleça um trabalho à distância, presencialmente é diferente.”

Depois do recesso de fim de ano, a perspectiva é que as aulas voltem novamente em fevereiro.

Na sexta-feira (22), o governador João Doria (PSDB) anunciou o retorno da rede estadual de ensino para o dia 8 de fevereiro. Inicialmente, a previsão era para dia 1º de fevereiro. Em relação a essa volta, o posicionamento da professora é um pouco menos otimista. “Se você me perguntasse uma palavra que me vem à mente nesse momento é o medo.”

Esse episódio é parte de uma série especial que ouve os relatos de professores de como está sendo ensinar durante a pandemia.

O Folha na Sala é uma parceria da Folha com o Itaú Social. O programa é apresentado pelos jornalistas Ricardo Ampudia e Juliana Deodoro. A coordenação é de Fábio Takahashi e Magê Flores. A edição de som é de Stefano Maccarini.

Você pode acrescentar o nosso programa no seu agregador de podcasts usando o link https://omny.fm/shows/folha-na-sala/playlists/podcast.rss

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.