Descrição de chapéu Café da Manhã stf

Os dilemas jurídicos e os efeitos políticos da prisão de Daniel Silveira; ouça podcast

Deputado do PSL foi alvo de decisão do Supremo após vídeo no qual atacava ministros do tribunal

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O plenário do STF (Supremo Tribunal Federal) determinou nesta quarta-feira (17), por unanimidade, a prisão em flagrante do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), depois que o parlamentar publicou um vídeo com ataques aos ministros da corte.

Segundo o tribunal, o deputado atacou frontalmente os ministros do Supremo, fez diversas ameaças e ofensas à honra deles e também propagou a adoção de medidas antidemocráticas ao defender medidas de exceção. A defesa de Silveira diz que ele agiu dentro dos limites da liberdade de expressão e estava protegido pela imunidade parlamentar.

Agora a bola está com a Câmara, a quem cabe confirmar ou não a decisão do Supremo no caso da prisão de deputados.

No episódio desta quinta-feira (17), o Café da Manhã conversa com o doutor em direito e ciência política Conrado Hübner Mendes, colunista da Folha, para entender os dilemas jurídicos e os efeitos políticos desse caso.

O programa de áudio é publicado no Spotify, serviço de streaming parceiro da Folha na iniciativa e que é especializado em música, podcast e vídeo. É possível ouvir o episódio clicando abaixo. Para acessar no aplicativo basta se cadastrar gratuitamente.

O Café da Manhã é publicado de segunda a sexta-feira, sempre no começo do dia. O episódio é apresentado pelos jornalistas Magê Flores e Bruno Boghossian, com produção de Jéssica Maes, Laila Mouallem e Victor Lacombe. A edição de som é de Natália Silva.

Imagem de capa do podcast Café da Manhã, com o nome do programa escrito sobre vários recortes de jornais. Logos de de Spotify e Folha de S.Paulo podem ser vistas nos cantos
Podcast Café da Manhã - Reprodução
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.