Descrição de chapéu Café da Manhã

Por que jovens ainda vão a festas na pior fase da pandemia? Ouça podcast

Comportamento de risco continua apesar do aumento de internações e mortes

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Desde os primeiros meses da pandemia, especialistas alertam que os grupos com maior risco de morrer ou desenvolver quadros graves de Covid-19 são os idosos e as pessoas com comorbidades.

Mas médicos têm alertado que os jovens, mesmo sem outras questões de saúde, também podem desenvolver formas graves da doença —e têm ocupado cada vez mais leitos hospitalares.

Segundo o Ministério da Saúde, nas dez primeiras semanas de 2021, 21.945 brasileiros de 20 a 39 anos foram hospitalizados com Covid (12% do total) e 2.441 morreram (5%). Uma média de 34 vítimas por dia.

Mesmo assim, aglomerações em bares e festas clandestinas continuam acontecendo pelo país.

O episódio desta sexta-feira (26) do Café da Manhã tem participação da repórter da Folha Anna Virginia Balloussier, que escreveu uma reportagem sobre por que os jovens continuam saindo de casa para se divertir mesmo no pior momento da pandemia.

O programa de áudio é publicado no Spotify, serviço de streaming parceiro da Folha na iniciativa e que é especializado em música, podcast e vídeo. É possível ouvir o episódio clicando abaixo. Para acessar no aplicativo basta se cadastrar gratuitamente.

Ouça o episódio:

O Café da Manhã é publicado de segunda a sexta-feira, sempre no começo do dia. O episódio é apresentado pelos jornalistas Maurício Meireles e Magê Flores, com produção de Guilherme Botacini, Laila Mouallem e Victor Lacombe. A edição de som é de Thomé Granemann.

Imagem de capa do podcast Café da Manhã, com o nome do programa escrito sobre vários recortes de jornais. Logos de de Spotify e Folha de S.Paulo podem ser vistas nos cantos
Podcast Café da Manhã - Reprodução
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.