Descrição de chapéu Café da Manhã

As festas na pandemia que podem derrubar Boris Johnson; ouça podcast

Imprensa revelou que primeiro-ministro britânico participou de eventos enquanto país estava em lockdown

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

As revelações de que o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, furou as regras do lockdown para participar de festas ameaçam a permanência dele no cargo. As confraternizações ocorreram na residência oficial, em Downing Street —inclusive na véspera do funeral do príncipe Philip, quando o país estava em luto.

O escândalo levou opositores e até integrantes do partido de Johnson a pedirem para que ele deixe a cadeira de premiê. O político não deu sinais de que pretende renunciar, mas a pressão continua e os próximos dias devem ser decisivos.

O Café da Manhã desta quarta-feira (19) trata da crise provocada pelas festas de Boris Johnson. O jornalista Tom Phillips, correspondente do jornal The Guardian na América Latina, analisa o comportamento dos políticos britânicos e avalia as chances de o primeiro-ministro perder o cargo.

Ouça o episódio:

O programa de áudio é publicado no Spotify, serviço de streaming parceiro da Folha na iniciativa e que é especializado em música, podcast e vídeo. É possível ouvir o episódio clicando abaixo. Para acessar no aplicativo basta se cadastrar gratuitamente.

O Café da Manhã é publicado de segunda a sexta-feira, sempre no começo do dia. O episódio é apresentado pelos jornalistas Bruno Boghossian e Magê Flores, com produção de Jéssica Maes, Laila Mouallem e Natália Silva. A edição de som é de Thomé Granemann.

Imagem de capa do podcast Café da Manhã, com o nome do programa escrito sobre vários recortes de jornais. Logos de de Spotify e Folha de S.Paulo podem ser vistas nos cantos
Podcast Café da Manhã - Reprodução
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.