Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
26/11/2012 - 06h40

Marcha pelos royalties no Rio tem adesão de artistas

Publicidade

DO RIO

A passeata contra a nova divisão dos royalties, marcada para ter início às 14h desta segunda-feira, no centro do Rio de Janeiro, terá a participação de artistas e atletas brasileiros. Uma lista com cerca de 40 nomes previstos foi divulgada pela Secretaria de Estado de Cultura.

De acordo com a secretaria, nem os músicos que irão se apresentar nem os artistas que estarão presentes receberam cachê. Apenas artistas terão direito a discursar no palco. Assim como nas duas últimas passeatas, os políticos não farão o uso da palavra. Todos foram convidados pelo governo do Estado.

A cantora Preta Gil, filha do músico Gilberto Gil, será uma das mestres de cerimônia do evento. Segundo ela, o Rio já vive há muitos anos com os royalties do petróleo e não seria justo tirá-los agora. "Os outros Estados sempre sobreviveram com outros recursos. Sei que seria uma ganho grande para eles, mas uma perda imensurável para o Rio que conta com essa receita para manter e aprimorar sua infraestrutura", disse ela.

A passeata pedirá que a presidente Dilma Rousseff vete a parte da lei, aprovada no último dia 6 pela Câmara dos Deputados, que prevê a mudança dos percentuais de distribuição sob os royalties recolhidos dos campos de petróleo já licitados. Levantamento da Secretaria de Desenvolvimento do Estado do Rio aponta que o Estado perderá R$ 77,3 bilhões em receitas até 2020 com a mudança.

A atriz Maria Paula, que será mestre de cerimônia ao lado de Preta Gil, disse que a passeata é o momento para que a população local se mobilize em torno da causa. "É um momento para o povo carioca se unir para que a Dilma vete o projeto. É uma questão complexa, mas os royalties têm de ficar no Rio por conta dos riscos ambientais e o Estado precisa de dinheiro para lidar com isso", afirmou.

O ator Herson Capri foi mais enfático, ao dizer que a nova divisão é um assalto aos Estados e municípios produtores de petróleo. Para ele, se a lógica da redistribuição fizesse sentido, seria necessário que todos os Estados que exploram economicamente seus recursos naturais distribuíssem suas riquezas com todos as outras unidades da federação.

"O que estão fazendo com o Rio e com o Espírito Santo é, na minha opinião, um assalto. Se for assim, temos que repartir a lucratividade da indústria paulista, as receitas da agricultura do Paraná e os royalties do minério de Minas Gerais. É um casuísmo sem sentido", disse ele, que acompanha a questão dos royalties há 18 anos, quando se casou com Susana Garcia, que é filha de Marilena Garcia, atual vice-prefeita de Macaé.

Ele ressaltou que os royalties são uma compensação para a atividade de petróleo que, disse, traz riquezas mas também gera impactos negativos para as cidades. "A atividade do petróleo leva a uma migração interna que desenvolve o interior e favorece o estado como um todo. Mas e como faz para preparar essas cidades. E como faz se tem um vazamento de petróleo? É preciso recursos para mitigar os impactos negativos."

SHOWS

A manifestação começará às 14h com uma concentração em frente à igreja da Candelária, no centro. A marcha seguirá pela avenida Rio Branco, a principal do centro da cidade, e terminará na Cinelândia, onde um palco foi montado.

Às 18h, a cantora Alcione cantará o hino nacional e depois será lido um manifesto contra a nova divisão. Em seguida, shows e discursos de artistas serão realizados.

Entre as apresentações previstas estão a dos funkeiros Naldo e Buchecha e a dos pagodeiros do Fundo de Quintal, do Molejo, do grupo Bom Gosto e Belo. Estão previstas ainda as participações da Bateria da Grande Rio e do conjunto Monobloco.

Entre as personalidades esperadas estão a apresentadora Xuxa; a cineasta Carla Camurati, presidente do Teatro Municipal do Rio; Perfeito Fortuna, criador do Circo Voador; o autor de novelas João Emmanuel Carneiro (Avenida Brasil); o ator Marcos Frota; o rapper Gabriel O Pensador; e a chefe Roberta Sudbrak.

Os presidentes dos clubes de futebol Fluminense e Vasco, Peter Siemsen e Roberto Dinamite, respectivamente, também são esperados.

Vários atletas confirmaram presença, segundo a Secretaria de Cultura do Estado. Entre eles, Fabi, líbero da equipe feminina de vôlei, que foi medalhista de ouro na última olimpíada; os irmãos ginastas Diego e Daniele Hypólito; Leo Moura, lateral direito do Flamengo; e a triatleta Fernanda Keller. (LUCAS VETTORAZZO e BRUNA FANTTI)

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Voltar ao topo da página