Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
28/11/2012 - 16h29

Fazendeiro é condenado à prisão por morte de sem-terra no Paraná

Publicidade

ESTELITA HASS CARAZZAI
DE CURITIBA

O proprietário rural Teissin Tina foi condenado na madrugada desta quarta-feira (28) pela morte do sem-terra Sebastião Camargo Filho, em 1998, no noroeste do Paraná.

Além dele, Osnir Sanches, acusado de ser pistoleiro e comandante da ação, também foi julgado e condenado por homicídio qualificado.

Tina era o dono da fazenda Boa Sorte, em Marilena (a 570 km de Curitiba), onde Camargo estava acampado e foi morto. Na época, o local estava em processo de desapropriação. A propriedade deu lugar ao assentamento Sebastião Camargo Filho, onde vivem hoje cerca de 40 famílias.

Os sem-terra estavam acampados na fazenda havia três meses quando ocorreu o ataque, na madrugada de fevereiro de 1998, feito por um grupo de pistoleiros e proprietários rurais da região. Camargo, 65, morreu com um tiro na nuca. Segundo testemunhas, ele não conseguia se deitar no chão por um problema de coluna, e por isso foi baleado.

O acusado de ter disparado o tiro, segundo relatos de testemunhas, é Marcos Prochet, ex-presidente da UDR (União Democrática Ruralista). Ele seria julgado ontem, mas mudou de advogado recentemente e, por isso, seu júri foi adiado para o início de 2013.

A defesa de Tina sustentou que o fazendeiro havia sido convidado para uma passeata, e não sabia que haveria uma ação violenta. O advogado de Sanches afirmou que ele agiu em legítima defesa do direito de propriedade.

Teissin Tina foi condenado a seis anos de prisão por homicídio simples. Sanches, a 14 anos por homicídio qualificado. Ambos irão recorrer da sentença em liberdade.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página