Descrição de chapéu Eleições 2018

Boulos se filia ao PSOL e candidatura pelo partido deve ser votada no sábado

Decisão é questionada por grupo de integrantes que veem presença de Lula na sigla

Géssica Brandino
São Paulo

O coordenador nacional do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), Guilherme Boulos, se filiou na tarde desta segunda-feira (5) ao PSOL. A candidatura de Boulos deve ser votada por representantes do partido em conferência neste sábado (10).

Definida como histórica para membros das instâncias nacional, estadual e municipal do partido, a filiação do presidenciável contou com a presença dos deputados Ivan Valente, Chico Alencar e Glauber Braga.

Segundo o pré-candidato, o objetivo da campanha será construir um projeto para o Brasil dos 99% e não para o 1% mais rico da população. “Queremos trazer a população para o tabuleiro da política”, declarou.

Boulos afirma que a primeira ação de seu governo seria revogar medidas da gestão Temer. “Quero dizer que se confirmado presidente da República, a primeira medida que faremos é organizar um plebiscito para revogar todas as medidas desse governo ilegítimo do Michel Temer.”

Segundo o presidente do PSOL, estão cotados para construir o projeto de Campanha de Boulos: Laura Carvalho (colunista da Folha) e José Luís Fevereiro (Economia); Daniel Cara, Luiz Araújo, Lisete Arelaro e André Caldas (Educação); Maria José Maninha e Maria de Fátima de Sousa (Saúde);  Luiz Eduardo Soares (Segurança); e Flávio Campos (Esporte).

Juliano Medeiros, presidente do PSOL, afirma que “será um programa reformista radical”, mas realista, formulado a partir das propostas recebidas pela plataforma Vamos, da frente Povo Sem Medo, do MTST.

A vice da chapa será a indígena Sonia Guajajara, coordenadora da Apib (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil). Para Boulos, a parceria é simbólica sobre o projeto do partido para o Brasil.

LULA

No sábado, durante o lançamento da pré-candidatura, Boulos recebeu uma mensagem em vídeo de Lula, apoiando a candidatura e dizendo que o líder do MTST era um bom quadro para o futuro. A manifestação foi questionada por Plínio de Arruda Sampaio Jr., conhecido como Plininho, que organizou um ato para quarta (7), no Rio de Janeiro, com o mote “Fora Lula do PSOL! Prévias Já”.

Segundo Boulos, é preciso que a esquerda aprenda a separar diferenças políticas de conivência com injustiça e que há setores que preferem fazer confusão em torno da questão. “As diferenças não me cegam para ver que existe uma injustiça sendo cometida. Não apenas ao Lula, mas uma ferida democrática”, disse.

O deputado Ivan Valente afirma que o fato de Lula manifestar apoio a Boulos não significa que o PSOL deixou de discordar do PT em termos ideológicos, programáticos e éticos, mas que não é possível negar a seletividade do judiciário no país. “Essa ideia de que o Lula estará no nosso palanque é irreal”, declarou.

Em relação ao questionamento sobre as prévias, Medeiros explica que, no congresso nacional do partido em dezembro, 70% dos delegados escolhidos pelos filiados da sigla aprovaram o diálogo em torno da filiação e pré-candidatura de Boulos e a definição do candidato em março, por meio de votação. Além de Plininho, Amilton Assis e Nildo Ouriques também disputam a candidatura.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.