Descrição de chapéu Análise Eleições 2018 rodrigo maia

Lançamento de candidatura Maia é forma de elevar cacife do DEM

A tendência, contudo, é de acomodação com Alckmin mais à frente na corrida eleitoral

Igor Gielow
São Paulo

O DEM vai ter em Rodrigo Maia seu candidato à Presidência? A resposta é não, deixando aberta, em nome da superstição, uma mísera brecha ao imponderável que vem ditando a política brasileira desde 2013.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que é pré-candidato a presidente pelo DEM, durante entrevista em Brasília
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que é pré-candidato a presidente pelo DEM - Pedro Ladeira/Folhapress

E o que permite a existência dessa fenda no edifício de alianças é a fragilidade atual do síndico, o tucanato. Desde 1994, o DEM só não foi com o PSDB de saída quando houve briga entre os condôminos, em 2002.

O cenário decorre do desgaste da liderança tucana, da falta de renovação e pelo peso que o DEM identifica no nome de Geraldo Alckmin. Não por acaso, democratas foram grandes entusiastas do balão de ensaio João Doria presidente.

O desencanto generalizado do eleitorado, medido em pesquisas qualitativas e expresso na pasmaceira aferida pelos levantamentos qualitativos, também contribui para a movimentação dos democratas.

O partido precisa agora fingir que sua força renovada não veio da associação com Michel Temer, cuja radioatividade é tão grande que faz o poderoso MDB se manter na posição de "fazedor de reis" sem um candidato real a monarca na mesma órbita em que estão o PSDB e o DEM.

Maia ganhou poder na chefia da Câmara como parceiro da agenda do governo. E adensou sua posição ao empenhar lealdade quando Temer esteve com a corda no pescoço após o caso JBS.

Como Maia já disse anteriormente, contudo, seu voo é parlamentar no momento. Mesmo a disputa por espaço com outro governista, Henrique Meirelles, não passa de uma acomodação para o jogo à frente.

Nesse contexto, não passou despercebido o apoio que seu pai e mentor, Cesar Maia, deu a Alckmin como presidenciável em detrimento aos que sugerem o nome do deputado federal.

Como afirmou o próprio ACM Neto, agora presidente do DEM e ele sim um nome em ascensão e com votos, a candidatura Maia é algo para ficar no ar até julho.

Depois, cenário mais decantado, será a hora de o síndico chamar uma reunião de condomínio. E o DEM quer chegar com as contas pagas e as faturas, altas.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.