'Estou tranquilo, mas indignado', diz Lula em recado à militância

Ex-presidente disse que ouviu o que os manifestantes cantaram e que está agradecido

Ana Luiza Albuquerque
Curitiba

O ex-presidente Lula, preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR) desde sábado (7), mandou um recado para a militância que segue acampada em frente à PF. "Continuo acreditando na Justiça e por isso estou tranquilo, mas indignado como todo inocente fica indignado quando é injustiçado", escreveu.

Lula disse que ouviu o que os manifestantes cantaram e que está agradecido pela presença e resistência de todos. Ele afirmou que continua desafiando a Polícia Federal, o Ministério Público, o Moro e a segunda instância a provarem o crime que supostamente cometeu. 

A mensagem foi lida pela presidente do PT, a senadora Gleisi Hoffmann. Ela disse que tem conversado com Lula por meio de seus advogados. Segundo a parlamentar, o ex-presidente pediu que o recado fosse lido aos manifestantes do acampamento.

TRANSFERÊNCIA

O PT e a CUT (Central Única dos Trabalhadores) entraram em acordo com o governo do Paraná para retirar o acampamento da frente da PF até as 18h desta terça (17).

Serão mantidas apenas quatro tendas e uma estrutura de banheiros para assegurar a continuidade dos atos no entorno da polícia. A alimentação e o pernoite, no entanto, serão realizados em outro local, ainda não definido pela organização.

O governo sugeriu o parque Atuba, a 3 km da PF, mas o senador Lindbergh Farias (PT) já afirmou que a militância não irá se deslocar até lá. Os manifestantes querem permanecer perto de Lula, a quem dão bom dia e boa noite todos os dias. 

 

Veja a nota na íntegra:

"Ouvi os recados e as músicas que vocês cantaram. Estou muito agradecido pela resistência e presença de vocês neste ato de solidariedade. Tenho certeza que não está longe o dia em que a Justiça valerá a pena. Na hora em que ficar definido que quem cometeu crime seja punido. E que quem não cometeu seja absolvido.

Continuo desafiando a Polícia Federal da Lava Jato, o Ministério Público da Lava Jato, o Moro e a segunda instância a provarem o crime que alegam que eu cometi. Continuo acreditando na Justiça e por isso estou tranquilo, mas indignado como todo inocente fica indignado quando é injustiçado. 

Grande abraço e muito obrigado.

Luiz Inácio Lula da Silva"

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.