Descrição de chapéu Eleições 2018

Ciro faz aceno e pede confiança a investidores

Em encontro com clientes de corretora, presidenciável diz que não haverá surpresas se for eleito

São Paulo

O ex-ministro Ciro Gomes, pré-candidato do PDT à Presidência da República, disse que não haverá surpresas em seu governo se for eleito e pediu confiança a um grupo de investidores e analistas do mercado financeiro com que se reuniu a portas fechadas nesta quinta-feira (28).

"O que eu quero é a confiança de vocês, não precisam gostar de mim", afirmou Ciro, de acordo com o relato de um participante do encontro. Organizado pela corretora XP Investimentos, o evento pôs o presidenciável em contato com 70 clientes da empresa durante duas horas e meia.

Ciro Gomes gesticula ao falar em evento do setor da cana-de-açúcar.em São Paulo
Ciro Gomes fala em evento do setor da cana-de-açúcar.em São Paulo - Jorge Araujo - 18.jun.2018/ Folhapress

Num esforço para desfazer a imagem criada por seu temperamento explosivo, Ciro disse não se reconhecer no retrato que os jornais costumam fazer dele e arrancou gargalhadas da plateia com piadas em pelo menos quatro momentos. No fim, cumprimentou todos um a um ao se despedir.

Ele apresentou as linhas gerais de sua plataforma de campanha, destacando como prioridades o ajuste das contas do governo federal, a recuperação da sua capacidade de investimento e a redução do elevado grau de endividamento das famílias e das empresas. 

Ciro defendeu o aumento dos tributos cobrados sobre heranças, lucros e dividendos das empresas, e sugeriu a criação de um imposto sobre movimentações financeiras, nos moldes da antiga CPMF, além da redução de subsídios.

Sem oferecer detalhes, disse que todas as despesas do governo serão revistas e reafirmou linhas gerais de sua proposta de reforma da Previdência, como a criação de um sistema de capitalização, baseado em contas individuais.

Segundo outro participante do encontro, o presidenciável afirmou aos investidores que pretende ganhar sua confiança dizendo sempre com clareza o que pretende fazer se vencer a eleição de outubro. 

Na saída, Ciro disse aos jornalistas que recebeu R$ 30 mil da XP pela participação no evento. "Tenho que pagar o gim das crianças", brincou. "Quando a candidatura for homologada, aí evidentemente eu suspendo [as palestras]".

Nesta semana, Ciro virou alvo de vídeos produzidos por dois adversários. O ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) o criticou por ter trocado de partido várias vezes, e o ex-ministro Henrique Meirelles (MDB) pôs no ar uma cena em que ele grita que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) "é um merda".

Ciro também tem despertado ceticismo entre investidores por causa de suas propostas. Há dúvidas sobre a capacidade de sustentar seu plano para a Previdência sem que a dívida pública exploda. Numa entrevista recente, ele defendeu a expropriação de campos de petróleo cujos direitos de exploração foram concedidos a empresas estrangeiras.

No encontro com os clientes da XP, o presidenciável defendeu genericamente o respeito aos contratos, afirmou que a política de preços da Petrobras precisa ser repensada e disse que as empresas estatais terão metas de eficiência fixadas pelo governo federal. 

Ciro disse que está perto de fechar uma aliança com o PSB e que tem conversado com o PP, o DEM e o Solidariedade, mas que nada será definido antes de meados de julho.

Após o evento, ele disse aos jornalistas que pedirá desculpas aos líderes do DEM que tiverem considerado ofensivo o comentário que ele fez sobre o vereador Fernando Holiday, que chamou de "capitãozinho do mato" numa entrevista.

Holiday, que é negro, afirmou que vai processar Ciro. "Falei ao [presidente nacional do DEM] ACM Neto: faça uma lista de quem você acha que eu preciso ligar, que eu ligo, sem problemas", disse Ciro.

Flavia Lima , Ricardo Balthazar e Renan Marra

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.