Descrição de chapéu Eleições 2018

Pilar de plano eleitoral de governador, alistamento civil começará em julho

Governo de SP pagará auxílio de R$ 500 a jovens por serviços como ajudar idoso a atravessar a rua

Gabriela Sá Pessoa
São Paulo

O alistamento civil de jovens, uma das principais ações do programa de governo Márcio França (PSB) na campanha à reeleição ao governo de São Paulo, começará a ser implementado em julho em 16 cidades do estado.

Até o final do ano, o governo estima conceder um auxílio de R$ 500 por mês a 5.000 jovens, que irão “prestar serviços de apoio ao cidadão”, disse na terça-feira (26) o secretário do Planejamento, Maurício Juvenal.

Ele apresentou aos deputados da comissão de finanças da Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo) os primeiros resultados dos gastos públicos de 2018 e falou sobre o orçamento de 2019. 

Servidores fazem piquete em frente ao Bandeirantes para falar com Márcio França, em São Paulo
Servidores fazem piquete em frente ao Bandeirantes para falar com Márcio França, em São Paulo - Gabriela Sá Pessoa - 26.jun.2018/Folhapress

No projeto da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias), encaminhado ao Legislativo no final de abril, o governo estabelece como meta atingir 100 mil jovens com o alistamento civil no ano que vem. 

Outra ação com grande potencial de render dividendos eleitorais prevista na lei orçamentária é um programa de asfaltamento de municípios, já adotado como marca de França desde a sua posse, em abril. Em maio, segundo o Planejamento, foram autorizados R$ 98,8 milhões em convênios com municípios para essa finalidade. 

França importou a ideia do alistamento civil de sua gestão na Prefeitura de São Vicente (SP), de 1997 a 2004. Segundo seus auxiliares, o programa foi responsável por reduzir os índices de violência na cidade da Baixada Santista.

 Segundo Juvenal, cada beneficiário do programa deverá ficar a postos nas ruas durante quatro horas diárias para, por exemplo, ajudar idosos e deficientes a atravessar a rua ou ficar de prontidão em portas de escolas e praças. “Cria uma presença do Estado”, afirma o secretário.

Poderão contribuir ainda com o discurso eleitoral de França outras propostas, como universalizar o acesso ao ensino superior no estado, permitindo que todos os estudantes ingressem na Univesp (Universidade Virtual do Estado de São Paulo), de ensino à distância, sem prestar vestibular. A facilidade valerá para cursos como administração, pedagogia e contabilidade.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.