Descrição de chapéu Eleições 2018

Lula diz que Judiciário não merece mais respeito, afirma líder do MST

João Pedro Stédile visitou o petista na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba

Ana Luiza Albuquerque
Curitiba

"Indignado", o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse a interlocutores que o Poder Judiciário não merece mais respeito. Foi o que afirmou João Pedro Stédile, coordenador nacional do MST, após visita ao petista nesta quinta-feira (5), na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR).

"A indignação dele é tão grande que disse para nós: 'A comportar-se desse jeito, esse Poder Judiciário não merece mais respeito de ninguém'", relatou Stédile a jornalistas. Segundo o ativista, o ex-presidente afirmou que a Justiça precisa recuperar a compostura e se guiar pela Constituição, garantindo os direitos das pessoas.

Também participou da visita o ex-presidente nacional do PT Rui Falcão. Há exatamente três meses, o juiz Sergio Moro expediu mandado de prisão contra Lula.

Repetindo relatos de apoiadores que visitaram o petista na cadeia, Stédile apontou uma aparente dualidade no ex-presidente. Segundo ele, Lula está "sereno e puto da cara". 

O líder do MST disse que o ex-presidente está indignado com a situação do país e com o que entende como manipulações do STF (Supremo Tribunal Federal). "Ele está puto da cara porque acompanha pela televisão as notícias. Está muito bem informado", afirmou.

De acordo com Stédile, Lula ficou muito satisfeito com a agenda de mobilizações dos movimentos populares para os próximos meses.

O ativista disse que será feito um abaixo-assinado dirigido à presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, para que seja pautada uma das ações declaratórias de constitucionalidade que tratam da execução provisória da pena. É o caso do ex-presidente, que foi preso antes do julgamento de seu processo nas instâncias superiores. 

O ex-presidente também declarou apoio a Marília Arraes, que busca se candidatar pelo PT ao governo de Pernambuco. O partido está dividido no estado —uma ala quer colocar a campanha de Marília na rua, enquanto a outra deseja fechar uma aliança com o PSB, que tenta reeleger o atual governador, Paulo Câmara.

A manifestação de Lula ocorre simultaneamente ao avanço das negociações entre o PSB e o PDT do presidenciável Ciro Gomes.

"Se estivesse em Pernambuco como militante, já estaria em campanha pela Marília Arraes", Lula teria dito a Stédile e Falcão. Segundo Stédile, o ex-presidente acredita que a legenda precisa criar vergonha e disputar com suas ideias.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.