Veja erros e acertos de Alvaro Dias na sabatina

A Lupa checou as declarações do senador do Podemos na sabatina promovida por Folha, UOL e SBT

Agência Lupa

“Eu não tenho feito nenhuma despesa. Aliás, será a campanha mais barata da história”
FALSO 
Dias contratou R$ 5 milhões em despesas, R$ 3,7 milhões já foram pagos. O valor até agora supera o gasto em toda campanha por 7 dos 11 candidatos à Presidência em 2014. Segundo o TSE, naquele ano, Eduardo Jorge (PV) gastou, em cifras atualizadas pelo IPCA, R$ 4,5 milhões; Luciana Genro (PSOL), R$ 629,5 mil; José Maria Eymael, R$ 471,7 mil; e outros quatro candidatos, menos de R$ 300 mil. Procurado, Dias não respondeu.

“Há mais de 10 anos [não recebo verba indenizatória]”
FALSO
 Segundo o Portal da Transparência do Senado, de 2011 a 2018, Dias gastou R$ 702.689,47 da sua Cota para Exercício da Atividade Parlamentar (Ceaps). Segundo o Senado, essa cota substitui a extinta verba indenizatória dos gabinetes e equivale a R$ 15 mil mais o valor de cinco passagens aéreas de ida e volta entre Brasília e a capital do estado que o senador representa, o Paraná. Procurado, Dias não respondeu.

“O Twitter limpou [os robôs ativos no meu perfil], e a alteração foi mínima”
EXAGERADO
 O relatório do InternetLab sobre os perfis dos pré-candidatos à Presidência no Twitter, publicado em julho deste ano, mostrava que a conta de Dias tinha 408.732 seguidores em junho. Nesta segunda (10), o total chegava a 357,2 mil seguidores —uma redução de 12,6%. A diminuição ocorreu após o Twitter detectar e suspender perfis suspeitos de serem automatizados. O perfil de Dias ficou em primeiro lugar, entre 63,7% e 65% de robôs. Procurado, Dias não respondeu.

“Só com operações compromissadas, [o governo federal] lançou mão de R$ 1,114 trilhão, 16,8% do PIB”
VERDADEIRO, MAS 
Segundo o Banco Central, as operações compromissadas estavam no patamar citado por Dias em março de 2018: R$ 1,114 trilhão, o equivalente a 16,8% do PIB à época. Mas, em julho, dado mais recente publicado pelo BC, o valor havia crescido para R$ 1,182 trilhão, 17,5% do PIB.

“Apac reduz para menos da metade o custo de um preso”
VERDADEIRO
 Segundo a Fraternidade Brasileira de Assistência aos Condenados (FBAC), responsável por consolidar e expandir o modelo de Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (Apac), um preso em ressocialização custa menos da metade do que custa um no sistema carcerário. Em MG, para cada pessoa presa no sistema carcerário comum a despesa do estado é de R$ 2.700 por mês, enquanto a de uma pessoa detida em Apac chega a R$ 1.000.

Verdadeiro A informação está comprovadamente correta.  Verdadeiro, mas A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações.   Exagerado A informação está no caminho correto, mas houve exagero.  Falso A informação está comprovadamente incorreta.

Clara Becker, Chico Marés , Leandro Resende , Nathália Afonso e Plínio Lopes
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.