Condenados célebres já deram entrevistas na prisão

Lula foi impedido de falar à Folha na cadeia, por decisão do presidente do STF

São Paulo

Condenados célebres já tiveram autorização para dar entrevistas a veículos de comunicação na prisão.

Nesta segunda-feira (1º), o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, proibiu o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de conceder entrevista à Folha. Ele determinou que o caso seja julgado pelo plenário da corte.

Lula está preso em Curitiba desde abril condenado em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro.

Em 2016, Fernandinho Beira-Mar conversou com o repórter Roberto Cabrini, do SBT, na Penitenciária Federal de Porto Velho. A entrevista com o traficante ficou no ar durante quase uma hora.

Condenada pela morte dos pais, Suzane von Richthofen gravou conversa com o apresentador Gugu para a Record em 2015, no presídio de Tremembé (SP). Em 2014, ela já havia concedido entrevista à revista Marie Claire, após ter ficado oito anos em silêncio.

A revista piauí falou em 2015 com o ex-médico Roger Abdelmassih, também em Tremembé, onde ele cumpria pena depois de ser condenado a 181 anos de prisão por ter cometido 48 estupros.

Outro preso célebre que respondeu a perguntas jornalísticas na cadeia foi Cabo Bruno. Florisvaldo de Oliveira, nome de batismo do ex-PM, preso na década de 1990, falou à Record após ser condenado por uma série de assassinatos.

A emissora também ouviu, em 2013, o goleiro Bruno, condenado pelo envolvimento no assassinato de Eliza Samudio e preso em Contagem (MG).

Ele foi entrevistado pelo repórter Marcelo Rezende, o mesmo que em 2010 falou com Hildebrando Paschoal, ex-deputado federal que na época cumpria pena pelos crimes de tráfico de drogas, formação de quadrilha e homicídio. Ele liderou um grupo de extermínio na década de 1990.

Em 2001, a Folha entrevistou na Penitenciária de Araraquara (SP) o cirurgião plástico Hosmany Ramos, preso em 1981 pelos crimes de homicídio, roubo, tráfico de drogas e contrabando. O interno lançava um livro na época em que recebeu a reportagem.

A TV Globo exibiu em 1996 entrevista de João Acácio Pereira da Costa, o Bandido da Luz Vermelha, condenado por 88 crimes e fonte de inspiração para o filme “O Bandido da Luz Vermelha” (1968), do cineasta Rogério Sganzerla.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.