Datafolha mostra eleição indefinida no RJ, Witzel tem 53% dos votos válidos, e Paes, 47%

Witzel se associou na reta final da campanha do primeiro turno ao senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL)

Italo Nogueira
Rio de Janeiro

A distância entre as intenções de voto do ex-juiz Wilson Witzel (PSC) e do ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) atingiu seu menor nível na véspera da eleição e está em seis pontos percentuais, de acordo com pesquisa divulgada neste sábado (27) pelo Datafolha.

O candidato do PSC permanece na liderança, com 53% das intenções votos válidos, ante 47% do adversário. A diferença entre os dois era de 22 pontos percentuais há nove dias, tendo recuado para 12 há dois dias, chegado agora a seis.

O movimento indica, para o Datafolha, uma indefinição da disputa, já que a tendência de Witzel vem sendo de queda, enquanto Paes avança.

O candidato ao governo do Rio Wilson Witzel (PSC)
O candidato ao governo do Rio Wilson Witzel (PSC) - Ricardo Borges/Folhapress

As intenções de votos válidos desconsideram os eleitores que declararam voto branco, nulo ou indecisão. Em relação aos votos totais, o levantamento mostra que 44% opta por Witzel (eram 47% da pesquisa anterior), 40%, Paes (contra 37% há dois dias), 9%, branco ou nulo, e 7% afirmam estar indecisos.

A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, o que deixa Paes e Witzel no limite de um empate técnico. O ex-juiz, contudo, tem maior probabilidade de estar na frente.

O Datafolha entrevistou 3.008 eleitores entre sexta-feira (26) e sábado. A pesquisa foi registrada sob o número RJ-08582/2018 no Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. 

Os dados mostram que Paes ampliou seu eleitorado na capital que governou por oito anos. Se há nove dias ele tinha 41% na cidade contra 46% do adversário, ele agora aparece com 52% contra 37%. No interior, Witzel permanece com vantagem semelhante à do levantamento anterior (49% a 31%).

O ex-juiz também mostra resiliência entre os eleitores fluminenses de Bolsonaro. Ele tem a preferência de 68% desse grupo, mesmo nível apresentado nas duas pesquisas anteriores. Paes aparece agora com 21% entre os adeptos do capitão reformado, um avanço tímido comparado aos 18% registrados há nove dias.

Witzel chegou ao segundo turno ao se associar na reta final da campanha do primeiro turno ao senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL). O presidenciável declarou neutralidade na disputa fluminense, e Paes tem tentado fazer acenos ao capitão reformado, embora não declare apoio como faz o candidato do PSC.

A estratégia de Paes voltada para o eleitorado do presidenciável do PSL ainda não funcionou, segundo mostram os dados do Datafolha.

Por outro lado, o ex-prefeito ampliou sua votação entre os eleitores de Fernando Haddad (PT) nos últimos dois dias. Enquanto na quinta-feira (25) 65% dos que optam pelo petistas escolhiam Paes, esse percentual chegou a 74% neste último levantamento.

O ex-prefeito do Rio Eduardo Paes (DEM)
O ex-prefeito do Rio Eduardo Paes (DEM) - Zo Guimaraes /Folhapress

O Datafolha também pesquisou a avaliação dos candidatos no debate da TV Globo. Quase metade (49%) dos entrevistados assistiu ao último confronto entre Witzel e Paes. Desse grupo, 49% avaliou que o ex-prefeito se saiu melhor, enquanto 34% preferiu o desempenho do ex-juiz.

Witzel chegou ao segundo turno ao se associar na reta final da campanha do primeiro turno ao senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL). O presidenciável declarou neutralidade na disputa fluminense, e Paes tem tentado fazer acenos ao capitão reformado, embora não declare apoio como faz o candidato do PSC.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.