Descrição de chapéu Eleições 2018

Haddad diz que espera 2º turno mais civilizado e já faz aceno a Ciro, Marina e Meirelles

Candidato vota em SP entre protesto de moradores e apoio de militantes do PT

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, vota no colégio Brasilian Internacional School no bairro paulistano de Indianópolis
O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, vota no colégio Brasilian Internacional School no bairro paulistano de Indianópolis - Marlene Bergamo/Folhapress
MARINA DIAS
São Paulo

O candidato do PT ao Planalto, Fernando Haddad, afirmou neste domingo (7) que espera um segundo turno "mais civilizado" contra seu principal adversário, Jair Bolsonaro (PSL), e aproveitou para fazer acenos a outros candidatos, como Ciro Gomes (PDT), Marina Silva (Rede) e Henrique Meirelles (MDB).

"Estou esperançoso de que teremos um segundo turno muito mais civilizado do que tivemos no primeiro. Tenho o maior respeito pelos que concorreram, sobretudo aqueles com quem trabalhei. Com a Marina, com o Ciro Gomes, com o Meirelles, no governo Lula. Tenho o maior respeito e admiração pelo trabalho que eles realizaram", declarou Haddad após votar em São Paulo.

"Mas quero dizer que vamos ampliar para além dos partidos, a nossa aliança, para brasileiros e brasileiras, independentemente de partidos, que queiram contribuir para a reconstrução democrática do país", completou.

Como mostrou a Folha neste domingo (7), Haddad decidiu colocar em marcha desde já um plano de aproximação com candidatos da chamada centro-esquerda, para tentar ampliar sua aliança em um eventual segundo turno e impedir o avanço da onda em apoio a Bolsonaro, inclusive nesse campo.

A mais recente pesquisa Datafolha, divulgada neste sábado (6), mostra o capitão reformado com 40% dos votos válidos, contra 25% de Haddad e 15% de Ciro. Marina e Meirelles aparecem com 3% e 2%, respectivamente.

O herdeiro do ex-presidente Lula disse ainda que "entende a ansiedade" de Bolsonaro de tentar "liquidar a eleição no primeiro turno", já que, na sua avaliação, o candidato do PSL não tem repertório para debater propostas em uma disputa de confronto direto."O Brasil está correndo um grande risco desnecessário de colocar abaixo as conquistas dos últimos 30 anos. E nós temos condições de esclarecer isso nas próximas três semanas, se Deus nos ajudar a chegar ao segundo turno", disse o petista.

Haddad foi recebido com protesto de alguns moradores ao lado da escola em que vota, em Moema (zona sul), bairro nobre de São Paulo.

Após perceberem sua chegada, pessoas saíram às varandas de pelo menos dois prédios vizinhos e começaram a bater panelas, em um tipo de manifestação que ficou marcada como oposição à presidente Dilma Rousseff na época do impeachment.

Militantes do PT que aguardavam Haddad em frente à escola responderam. O candidato classificou os protestos de "normal", contanto que seja "pacífico".

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.