Ibope mostra Witzel com 60% dos votos válidos e Paes, 40%, no 2° turno

Rejeição a Eduardo Paes é 30 pontos percentuais maior que a do adversário

Ana Luiza Albuquerque
Rio de Janeiro

O ex-juiz Wilson Witzel (PSC) aparece com larga vantagem sobre Eduardo Paes (DEM) na disputa pelo governo do Rio de Janeiro, no primeiro levantamento do Ibope referente ao segundo turno das eleições estaduais.

Witzel conta com 60% dos votos válidos, enquanto Paes, ex-prefeito da capital, tem 40% das intenções de voto, na pesquisa divulgada na noite desta quarta-feira (17).

A contagem exclui os brancos, nulos e indecisos, assim como a Justiça Eleitoral faz no dia da eleição. O resultado confirma a ascensão surpresa de Witzel, que chegou ao segundo turno à frente de Eduardo Paes, com 41,28% dos votos válidos, frente a 19,58% do ex-prefeito.

A pesquisa também indica que a rejeição de Paes é superior a de Witzel. Quarenta e oito por cento dos entrevistados responderam que não votariam no ex-prefeito de jeito nenhum, frente a 18% que disseram o mesmo sobre o ex-juiz.

Paes liderou as pesquisas de intenção de voto em todo o primeiro turno.

Na última pesquisa Datafolha anterior à votação, o candidato do DEM tinha 27% das intenções de votos válidos, enquanto Witzel empatava com Romário (Pode) com 17%.

A arrancada do ex-juiz coincidiu com o apoio do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL) à sua campanha.

Em debate na manhã desta quarta, Paes buscou disputar com Witzel a proximidade com Jair Bolsonaro, que, diferentemente do filho, decidiu permanecer neutro na disputa estadual.

A sondagem do Ibope ouviu 1.512 eleitores em 43 municípios, entre os dias 15 e 17 de outubro.

A margem de erro da pesquisa, contratada pela TV Globo e Editora Globo, é de três pontos percentuais para mais ou para menos, e o levantamento tem o registro BR-01312/2018 no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Em vídeo gravado com o celular após a divulgação do levantamento, Paes afirma que a diferença das intenções de voto entre os dois era o dobro no início do segundo turno e diz que acredita na virada.

"A população está começando a olhar e entender quem é esse personagem que as pessoas votaram sem saber quem era. Começa a se jogar luzes sobre ele, transparência sobre ele, e é muita coisa estranha para a gente ainda apresentar."

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.