Não é verdade que livro de Haddad incentiva sexo entre pais e filhos

Campanha do candidato petista entrou com uma representação formal junto ao TSE contra Olavo de Carvalho

Amanda Lemos
São Paulo

É falso que Fernando Haddad (PT) incentiva sexo entre pais e filhos em livro acadêmico. Após comentário de Olavo de Carvalho no dia 11 de outubro, o conteúdo se espalhou pelas redes sociais.

A informação foi repassada por leitores via WhatsApp do Folha Informações, canal de checagem de boatos e notícias falsas do jornal.

A informação falsa foi publicada no perfil oficial no Facebook do escritor Olavo de Carvalho. Posteriormente, a publicação foi apagada. 

Segundo Olavo, Haddad teria escrito na obra que era preciso derrubar “o tabu do incesto” para a implantação do socialismo. “O homem quer que os meninos comam suas mães”, escreveu Olavo na publicação retirada do ar. 

No sábado (13), Olavo escreveu: “Em sentido literal e material, não é exato o que escrevi às pressas num post que logo em seguida retirei de circulação, segundo o qual o Haddad ‘defende’ ou ‘prega’ a prática do incesto. Ele apenas subscreve integralmente o programa da ‘sociedade erótica’ pregado pela Escola de Frankfurt, o qual advoga claramente a erotização das relações entre as mães e seus filhos”, disse Olavo em novo texto.

Segundo a assessoria do candidato, "Em Defesa do Socialismo" traça estratégias para subverter o conservadorismo. Uma delas seria dar maior liberdade sexual aos jovens.

“Haddad se declara social-democrata pelo compromisso com uma sociedade menos desigual, afirmando frequentemente seu compromisso com a democracia e o repúdio ao autoritarismo”, diz.

A campanha do candidato entrou com uma representação formal junto ao TSE contra o Olavo de Carvalho pedindo direito de resposta. Segundo o documento a publicação do filósofo informa, de forma inverídica e difamatória, que Fernando Haddad, através do livro “Desorganizando o Consenso” estaria defendendo o incesto. 

Se recebeu alguma informação que acredita ser falsa, comunique o WhatsApp da Folha (0-xx-11 99486-0293). Pode ser áudio, vídeo, corrente, imagem ou notícia que circule pelo aplicativo ou por redes sociais, como Facebook, Instagram ou Twitter. O jornal faz uma seleção do conteúdo a ser checado e publica o resultado desse trabalho.

Erramos: o texto foi alterado

O título do livro "Em Defesa do Socialismo", de Fernando Haddad, foi grafado incorretamente como "Em Defesa da Democracia". O texto foi corrigido.
 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.