Descrição de chapéu Eleições 2018

'Segundo turno tem que ser entre mim e Ciro', diz Haddad

Na avaliação do petista, Bolsonaro tentou fraudar a eleição

Catia Seabra Marina Dias
São Paulo e Brasília

O candidato do PT ao Planalto, Fernando Haddad, afirmou nesta quinta-feira (18) que o segundo turno presidencial deve se dar entre ele e Ciro Gomes (PDT), já que, na sua avaliação, Jair Bolsonaro (PSL) tentou fraudar a eleição.

Fernando Haddad durante encontro com evangélicos nesta quarta-feira (17), em São Paulo - Nelson Almeida/AFP

"Ele [Bolsonaro] tentou fraudar a eleição. Felizmente não deu [para ele vencer] no primeiro turno, senão isso tudo iria para debaixo do tapete", afirmou o petista antes de participar de evento em São Paulo.

"O segundo turno tem que ser entre mim e Ciro", completou.

O candidato do PDT ficou em terceiro lugar no primeiro turno, com cerca de 13 milhões de votos.

Segundo Haddad, reportagem da Folha desta quinta, que revelou que empresas compraram pacotes de disparos em massa de mensagens contra o PT no WhatsApp, mostra que houve "montagem de organização criminosa de empresários via caixa dois" para promover uma campanha para difamá-lo.

Após a publicação da reportagem, o presidente do PDT, Carlos Lupi, disse que o partido vai entrar com uma ação no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para questionar o resultado do primeiro turno da eleição, alegando "fraude eleitoral". 

Segundo Lupi, o departamento jurídico do partido ainda avalia a que instrumento jurídico recorrerá, entre eles pedidos de nulidade ou cancelamento do pleito deste ano.

Para Lupi, é de uma "gravidade imensurável" denúncia publicada nesta quinta-feira (18) pela Folha. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.