Descrição de chapéu Eleições 2018

'Vamos conversar com todos que quiserem conversar conosco', diz aliado de Bolsonaro

Deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) afirma que equipe está aberta para conversas de apoio

Jair Bolsonaro recebe documento de apoio da FPA (nas mãos do deputado Onyx Lorenzoni) ao lado da presidente da frente, Tereza Cristina, e de Nabhan Garcia (UDR), em sua casa no Rio
Jair Bolsonaro recebe documento de apoio da FPA (nas mãos do deputado Onyx Lorenzoni) ao lado da presidente da frente, Tereza Cristina, e de Nabhan Garcia (UDR), em sua casa no Rio - Reprodução
Talita Fernandes
Brasília

Com a confirmação de Jair Bolsonaro (PSL) no segundo turno da corrida presidencial, aliados do candidato fizeram sinalizações para a construção de uma aliança.

O deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) disse que a equipe do capitão reformado está aberta para conversas de apoio nessa segunda etapa da disputa.

"Vamos conversar com todos que quiserem conversar com conosco", afirmou. "É muito interessante porque no primeiro turno não queriam conversar conosco, agora muitos querem."

Lorenzoni, que já foi anunciado como ministro da Casa Civil caso Bolsonaro seja eleito, afirmou que as conversas não significam que o apoio político será retribuído com a oferta de cargos.

Além do deputado do DEM, também participou de entrevista coletiva o presidente em exercício do PSL, Gustavo Bebianno.

Novato na política, Bebianno inicialmente disse que seria "muito difícil" uma conversa do PSL com nomes como o do tucano Geraldo Alckmin, que encerrou a corrida presidencial em quarto lugar.

"O senhor Alckmin foi muito deselegante e baixou muito o nível durante a conversa", disse o presidente do PSL, em menção aos ataques feitos pelo tucano a Bolsonaro em seu programa eleitoral. Ele criticou o fato de o candidato do PSDB ter mantido o mesmo tom mesmo quando o capitão reformado estava internado para se recuperar de uma facada. 

Na entrevista coletiva, os aliados de Bolsonaro comemoraram a eleição de 52 deputados do PSL.

"Teremos a segunda maior bancada federal", disse Bebianno. "Para aqueles que questionavam a capacidade de Jair Bolsonaro de governar ta aí a prova."

Bebianno e Lorenzoni repetiram que o capitão reformado recebeu na última semana apoio de parlamentares da bancada evangélica e da FPA (Frente Parlamentar da Agropecuária).

URNAS

As críticas à confiabilidade das urnas e às pesquisas de intenções de votos também foram mencionadas por aliados de Bolsonaro.

Sem fornecer detalhes, Bebianno disse que o PSL vai promover uma investigação de denúncias de fraudes no sistema de urnas eletrônicas. 

Eles também comemoraram a derrota de políticos do PT. "Esses petistas estão de pijamas, graças a Deus", disse Lorenzoni.

A previsão inicial era de que Bolsonaro concedesse uma entrevista coletiva. A equipe de sua campanha chegou a montar um esquema de segurança reforçado em um hotel da Barra da Tijuca, próximo à casa do deputado. 

De última hora, ficou decidido que ele falaria apenas por meio de uma transmissão ao vivo por meio das redes sociais. Seu discurso foi feito ao mesmo tempo em que o seu adversário do segundo turno, Fernando Haddad (PT), concedia entrevista coletiva, transmitida pela TV.

Aliados justificaram a ausência do capitão com dificuldades de saúde dele e ameaças à sua segurança.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.