Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Flávio Bolsonaro diz não descartar apoio a Renan e MDB para presidência do Senado

Senador eleito afirmou que ainda é cedo para decidir sobre apoios e que o momento 'é de ouvir'

Talita Fernandes
Brasília

O senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) afirmou nesta terça-feira (6) que não descartar a possibilidade de seu partido apoiar nomes do MDB, como Renan Calheiros (MDB-AL), para a presidência do Senado.

"Tem que buscar alguém no Senado. O MDB que vai indicar se não houver a composição de novos blocos que possam vir a ter preferência na indicação do presidente", disse.

Questionado especificamente sobre o nome de Renan, que já presidiu a Casa quatro vezes, ele disse: "O Renan nem colocou a candidatura dele oficialmente. Não vou descartar uma candidatura que nem existe."

O senador eleito e filho de Jair Bolsonaro, Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), durante sessão na Câmara dos Deputados
O senador eleito e filho de Jair Bolsonaro, Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), durante sessão na Câmara dos Deputados - Pedro Ladeira/Folhapress

Filho do presidente eleito, Jair Bolsonaro, Flávio defendeu um perfil ficha limpa 'que esteja preocupado com o Brasil e não faça a velha política' para comandar as duas casas do Legislativo.

Ele disse que ainda é cedo para decidir sobre apoios e afirmou que começou nesta terça a se ambientar ao Senado, que lhe foi apresentado pelo senador Magno Malta (PR-ES), derrotado nas urnas.

Flávio é deputado estadual no Rio de Janeiro e assumirá pela primeira vez um cargo no Legislativo federal.

"O Renan foi eleito, outros também. Quero entender como está o ambiente dentro do Senado. Vou construir aquilo que o presidente Jair Bolsonaro instruir que a gente faça. Buscar uma pessoa que seja uma convergência dentro do Senado e que também não seja um empecilho para o bom trâmite das propostas do governo no Senado. O momento é de ouvir", afirmou.

O parlamentar também defendeu que o governo tem que conversar "com todo mundo que foi eleito". 

"Se a gente quer construir alguma coisa, a gente tem que buscar dentro das possibilidades, qualquer pessoa que seja uma convergência dentro do Senado. Não fui procurado por ninguém, mas vou estar nessa função de articular dentro do Senado", afirmou.

Questionado sobre qual comissão quer integrar no Senado, respondeu: "a que todo mundo quer, a CCJ". 
Flávio é o filho mais velho de Bolsonaro e formado em Direito pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.