Agentes fazem revista e encontram euros e dólares na cela de Pezão

Governador do Rio de Janeiro está preso em sala especial no Complexo Prisional da Polícia Militar

Marcela Lemos
Rio de Janeiro

Agentes da Secretaria de Segurança Pública do Rio e membros das Forças Armadas encontraram  € 70, US$ 36 dólares, 6 mil pesos colombianos e 25 ienes na cela onde está o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, no Complexo Prisional da Polícia Militar em Niterói, região metropolitana da capital.

A moeda estrangeira foi encontrada durante uma revista na unidade prisional nesta sexta-feira (21). O governador teve que prestar esclarecimentos à Corregedoria da Polícia Militar.

Isso porque cada detento tem autorização para possuir no máximo R$ 100 dentro do presídio e, convertidas, as moedas somam cerca de R$ 450.

O governador Luiz Fernando Pezão, preso desde o dia 29 de novembro em quartel da Polícia Militar em Niterói, Região Metropolitana do Rio, participou na manhã desta sexta-feira (7) do hasteamento da bandeira no pátio da unidade - Reprodução/TV Globo

Se for constatada irregularidade, ele pode receber uma punição administrativa. Pezão está preso desde o dia 29 de novembro, quando foi deflagrada a Operação Boca de Lobo, que investiga um esquema criminoso no governo do estado que teria tido início em 2007, durante a gestão do ex-governador Sérgio Cabral.

O Complexo Prisional da PM foi alvo de uma inspeção visual e de uma varredura eletrônica que também localizou sete celulares. Os aparelhos estavam na área comum, nos fundos da cadeia, fora das celas, e foram localizados com o auxílio de equipamentos que detectam ondas eletromagnéticas.

A fiscalização foi realizada justamente para localizar objetos irregulares nas instalações. A ação contou com 160 militares das Forças Armadas e 100 PMs. Essa é a segunda vistoria realizada no presídio de Niterói.

A primeira ocorreu no início do mês e foi feita por agentes do Ministério Público do Estado. Na ocasião, o objetivo foi conferir se o governador estava recebendo algum tipo de regalia na cadeia. Nenhuma irregularidade foi encontrada.

O governador do Rio está em uma sala especial do Estado Maior, sem grades e monitorado por câmeras de segurança. O espaço conta com cama, prateleira e mesa. Uma divisória separa o dormitório do banheiro que tem vaso sanitário, chuveiro e pia.

As refeições de Pezão são as mesmas oferecidas aos outros internos.

Pezão foi denunciado pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, junto com outras 14 pessoas no dia 19 de dezembro. O grupo é acusado dos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A denúncias será analisada pelo relator do caso no STJ (Superior Tribunal de Justiça), ministro Felix Fischer.

UOL
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.