Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Bolsonaro pretende adiar cirurgia para ir a Davos

Decisão final depende ainda de seus médicos no hospital Albert Einstein

Letícia Casado
Brasília

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), pretende adiar a cirurgia de retirada da bolsa de colostomia para ir ao próximo encontro do Fórum Econômico Mundial, que acontece de 22 a 25 de janeiro em Davos, na Suíça.

A cirurgia, que estava prevista para dezembro, foi adiada para depois da posse, em 1º de janeiro.

O presidente eleito já afirmou que será reavaliado por seus médicos no dia 19 de janeiro e que poderia ser operado no dia 20.

No entanto, a operação inviabilizaria a viagem para Davos.

Ele está confirmado na lista de participantes do evento.

Segundo sua assessoria, Bolsonaro quer ir a Davos e, para isso, analisa a possibilidade de adiar a operação.

No entanto, a decisão depende de seus médicos no Hospital Israelita Albert Einstein, informa a assessoria de Bolsonaro. 

Criado em 1971, o encontro de Davos reúne a elite mundial: chefes de Estado, empresários bilionários, banqueiros, líderes de ONGs relevantes e até estrelas de Hollywood.

Também fazem parte do time de presenças garantidas da delegação brasileira os futuros ministros da Economia, Paulo Guedes, e das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.







 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.