Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Não reeleito, líder da maioria na Câmara vai comandar Bolsa Família de Bolsonaro

Presidente eleito prometeu a criação do 13º salário para os beneficiários do programa

De terno e com a bandeira do Brasil no fundo, Lelo Coimbra olha pra câmera
Lelo Coimbra (MDB-ES) será o secretário responsável por tocar o Bolsa Família na gestão de Jair Bolsonaro (PSL) - Alan Marques - 7.jul.2016/Folhapress
Angela Boldrini
Brasília

O líder da maioria na Câmara, Lelo Coimbra (MDB-ES), que não se reelegeu, será o secretário responsável por tocar o Bolsa Família na gestão de Jair Bolsonaro (PSL). 

O anúncio foi feito nesta quinta-feira (20) pelo futuro ministro da Cidadania, seu correligionário Osmar Terra (RS). 

Coimbra será secretário do Desenvolvimento Social, setor que é responsável por tocar o Bolsa Família. 
Durante a campanha, Bolsonaro prometeu a criação do 13º salário para os beneficiários do programa. O presidente eleito também prometeu a criação do "super Bolsa Família". 

Hoje, o programa atende 47 milhões de brasileiros, 21% da população, principalmente no Nordeste, onde Bolsonaro perdeu para Fernando Haddad (PT) no primeiro turno da eleição presidencial.

Ainda sem nome, o "super Bolsa Família" de Bolsonaro foi desenhado por Sergei Soares, ex-presidente do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada) e mestre em economia pela UnB (Universidade de Brasília).

A ideia seria unificar benefícios pagos hoje separadamente pelo governo em um único. 

Ainda não está claro, porém, como o programa será posto em prática e como será orçado.

Coimbra é líder da maioria na Câmara no governo do presidente Michel Temer. Ele tentou um novo mandato nas eleições de outubro, mas não conseguiu se reeleger. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.