Descrição de chapéu Folha Informações

Antecessor de filho de Mourão no BB não recebia salário de R$ 100 mil

Nunca houve salário desse valor, afirma a instituição em nota

Antonio Rossell Mourão, filho do vice-presidente, Hamilton Mourão.
Antonio Rossell Mourão, filho do vice-presidente, Hamilton Mourão. - Reprodução
São Paulo

O antecessor de Antônio Rossell Mourão, filho do vice-presidente Hamilton Mourão, no cargo de assessor especial do presidente do Banco do Brasil não recebia salário de quase R$ 100 mil, diferentemente do que dizem correntes que circulam pelas redes sociais. 

"Filho do general Mourão, concursado, trabalhando há 18 anos no BB, é promovido e assume cargo para o qual é pós-graduado e receberá 3x menos que seu antecessor não concursado e indicado pelo PT. Bolsonaro tem nossa confiança", afirmava uma das mensagens. 

Com a ascensão no banco público, o filho do vice passará a ganhar R$ 36,3 mil, o triplo de seu atual rendimento.

O menor salário no banco é de R$ 2.854,66 e o maior salário R$ 47.763,57, exceto as remunerações de diretores, vice-presidente e presidente, que são de R$ 52.177,45, R$ 61.564,83 e R$ 68.781,86 , respectivamente. 

"Nunca houve salário de R$ 100 mil no BB", afirmou a instituição em nota à Folha

O Banco do Brasil possui três cargos de assessor especial do Presidente, com atribuições semelhantes.

Anteriormente à gestão Bolsonaro, eles eram ocupados por Sidney Passeri, Marilia Prado de Lima e Sheila de Amorim Santos Guedes. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.