Bolsonaro não tem por que perder essa eleição, diz Maia sobre presidência da Câmara

Deputado que tem o apoio do PSL para a reeleição lembrou que Dilma interferiu e perdeu em 2015

Carolina Linhares
São Paulo

O afastamento de Jair Bolsonaro (PSL) da disputa pela presidência da Câmara foi elogiado por Rodrigo Maia (DEM-RJ), que busca a reeleição para o posto e já tem o apoio do partido do presidente

Em entrevista ao SBT nesta quinta (3), Bolsonaro evitou declarar apoios e interferir na eleição da Câmara. 

"A posição do presidente está corretíssima em não influenciar, não decidir, não participar. A presidente Dilma participou e perdeu. Ele não tem por que perder essa eleição."

Maia se referiu à disputa em 2015, quando a então presidente Dilma Rousseff (PT) apoiou o petista Arlindo Chinaglia, que acabou perdendo para Eduardo Cunha (MDB-RJ). Na presidência da Câmara, Cunha, hoje preso pela Lava Jato, deflagrou o pedido de impeachment que cassou a ex-presidente. 

​ Maia não quis comentar sobre a articulação de outros partidos aliados, insatisfeitos com o embarque do PSL. 

O presidente da Câmara deu a declaração após reunião de 40 minutos com João Doria (PSDB), governador de São Paulo. Embora tenham dito que o tema do encontro, definido como uma visita institucional, foi a defesa da reforma da Previdência, Maia buscou o tucano para costurar um apoio do PSDB.

Doria manifestou o apoio, porém, enfatizou que a orientação sobre o tema cabe a Geraldo Alckmin, presidente do PSDB, a quem Maia disse que irá procurar nos próximos dias. 

"Como governador de São Paulo manifesto claramente a minha posição favorável à recondução do deputado Rodrigo Maia a presidente da Câmara. Majoritariamente a bancada federal do PSDB  deverá votar em Rodrigo Maia."

Após ter se fortalecido com a eleição, o governador trabalha para controlar o PSDB e defende um aliado para a presidência do partido, o deputado federal Bruno Araújo (PE).

Alckmin, por sua vez, com quem Doria teve rusgas durante a eleição, perdeu força ao terminar a corrida presidencial com 5% dos votos válidos. 

Além do PSL, Maia tem o apoio do PRB e do PSD, de Gilberto Kassab. O presidente da Câmara disse conversar com Kassab todos os dias e que são amigos. 

Nesta sexta, Doria publicou no Diário Oficial o afastamento de Kassab do cargo de secretário da Casa Civil para que ele possa se dedicar a sua defesa em denúncias de corrupção. O governador não quis comentar o assunto. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.