Internado para cirurgia, Bolsonaro grava vídeo no hospital e agradece orações

Resultado de exames no presidente neste domingo foi normal, e procedimento foi confirmado para segunda

Talita Fernandes
São Paulo

Após ser internado para se submeter a uma cirurgia, o presidente Jair Bolsonaro gravou um vídeo de dentro do hospital Albert Einstein, em São Paulo, para agradecer ao apoio e orações.

Bolsonaro chegou na manhã deste domingo (27) ao Einstein e realizou exames pré-operatórios que mostraram que a saúde dele está normal, segundo informou o hospital à tarde.

Diante dos resultados, foi confirmada a realização na manhã desta segunda (28) da cirurgia para retirada de uma bolsa de colostomia, colocada desde que ele foi vítima de uma facada em setembro de 2018. 

Policiais acompanham comitiva presidencial na chegada ao Hospital Albert Einstein para internação do presidente Jair Bolsonaro; ao fundo ambulância
Comitiva presidencial chega ao Hospital Albert Einstein para internação do presidente Jair Bolsonaro - Adriano Vizoni/Folhapress


O boletim médico foi lido pelo porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros, que disse que o presidente está "animado com os resultados dos exames".

"Eu acabei de estar com o presidente, está muito animado, está feliz pelos resultados do exame, e amanhã, com toda a certeza, o êxito na cirurgia fará com que ele possa desencadear as suas atividades de presidente da República da melhor forma possível em nome do nosso país, em nome da nossa sociedade", disse.

Segundo Rêgo Barros, Bolsonaro segue monitorando os desdobramentos do caso de Brumadinho (MG), onde o rompimento de uma barragem deixou dezenas de mortos e centenas de desaparecidos.

O porta-voz da Presidência da República, o general Otávio Rêgo Barros, durante coletiva de imprensa no Hospital Albert Einstein, onde o presidente Jair Bolsonaro se prepara para cirurgia de retirada da bolsa de colostomia
O porta-voz da Presidência da República, o general Otávio Rêgo Barros, durante coletiva de imprensa no Hospital Albert Einstein, onde o presidente Jair Bolsonaro se prepara para cirurgia de retirada da bolsa de colostomia - Adriano Vizoni/Folhapress

Ele passa o fim de domingo no hospital, aguardando o jogo do Palmeiras, time para o qual é torcedor. O clube enfrenta o São Caetano em partida com início às 19h pelo campeonato paulista.

O porta-voz informou ainda que a cirurgia deve ocorrer pela manhã, mas não há horário definido. A previsão dos médicos é de que a duração seja de aproximadamente três horas. Rêgo Barros disse não saber o grau de risco que a operação representa, mas repetiu que a expectativa de recuperação é de dez dias. 

Há a previsão e uma entrevista coletiva para segunda, logo após o encerramento da cirurgia.

"Tão pronto essas informações estejam abertas ao público, os senhores serão dos primeiros a obterem os dados da cirurgia", afirmou aos jornalistas.

Em vídeo gravado mais cedo e divulgado por meio das redes sociais, o presidente aparece vestindo a roupa do hospital e sentado num leito, com equipamentos médicos ao fundo. Esta é a segunda vez que ele se interna no Einstein desde o ataque.

No período de campanha, ele passou 23 dias internado no hospital israelita, para onde foi transferido um dia depois dos primeiros atendimentos na Santa Casa de Juiz de Fora (MG).

“Primeiro quero agradecer a Deus por estar vivo, depois a vocês pelo mandato que eu ora eu exerço em Brasília”, disse o presidente.

Sobre a cirurgia, ele disse que “se Deus quiser ocorrerá tudo muito bem”, afirmou.

Bolsonaro fez ainda um balanço de suas atividades na última semana e avaliou sua passagem por Davos (Suíça), onde participou do Fórum Econômico Mundial, como “um sucesso”.

“No meu entender foi um sucesso. Tenham certeza, todos gostam do Brasil. O Brasil será uma grande nação, com toda certeza”, afirmou.

A viagem de Bolsonaro a Davos, a primeira ao exterior como presidente, não atendeu à expectativa de que ele detalhasse o plano econômico de seu governo. Sua fala, de apenas seis minutos, foi avaliada como genérica por presentes.

O presidente comentou ainda a tragédia de Brumadinho (MG), onde o rompimento de uma barragem de rejeitos da Vale deixou mortos e desaparecidos.

“Aquela barbaridade em Brumadinho, em Minas Gerais. Algo que afeta a todos nós e nós somos solidários aos familiares das vítimas”, disse.

Depois de sobrevoar a região no sábado (26), Bolsonaro disse que seus ministros tomaram providências para “minorar a dor dos familiares bem como dar apoio aos sobreviventes, entre outras coisas”.

Com a cirurgia de Bolsonaro, a Presidência da República será assumida pelo vice, Hamilton Mourão, que permanecerá no cargo até 48 horas após o procedimento.

O presidente reassume o cargo na sequência, e o Palácio do Planalto já deslocou uma estrutura de gabinete de Brasília para São Paulo. 

Bolsonaro deve despachar do quarto do hospital e terá à sua disposição uma estrutura para realização de teleconferências, por meio das quais conversará com seus auxiliares. 

 
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.