Após atrito com Renan, senadora Simone Tebet diz que deve deixar MDB

Ela apoiou Davi Alcolumbre em eleição contra correligionário para comando do Senado

Thais Bilenky Daniel Carvalho
Brasília

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) sinalizou nesta segunda-feira (4) que deve deixar o MDB após atritos com Renan Calheiros (MDB-AL), na eleição para a presidência do Senado.

“Sairei de qualquer forma, se não hoje, num futuro próximo, se o MDB não se reinventar”, disse. “Não saí ainda, mas o atual MDB, infelizmente, já saiu de mim.”

A senadora Simone Tebet (MS), que sinalizou saída do MDB após embate com Renan Calheiros (AL)
A senadora Simone Tebet (MS), que sinalizou saída do MDB após embate com Renan Calheiros (AL) - Pedro Ladeira - 1º.fev.2019/Folhapress

Depois de disputar a indicação interna da legenda e perder para Renan, Tebet se lançou candidata avulsa à presidência da Casa. Nos últimos momentos da turbulenta eleição interna, retirou seu nome em apoio a Davi Alcolumbre (DEM-AP), que, no fim, derrotou Renan.

O cacique alagoano defendeu internamente a expulsão da senadora, que abdicou da liderança da bancada em meio ao processo.

”Não acredito que um partido que tem democrático no seu nome ia expulsar um membro porque acompanhou a voz das ruas e a soberania popular e agiu com a sua consciência no Senado Federal”, ela afirmou.

“Se for assim, não preciso ser expulsa, sou a primeira a sair.”

Com o maior número de cadeiras no Senado (13), o MDB perdeu o direito que teria a postos de destaque na direção da Casa, por causa do atrito na eleição, disse Tebet.

Ela costura por fora e a despeito de parte da bancada do MDB aliada a Renan espaços na Mesa Diretora e em comissões relevantes como a CCJ (Constituição e Justiça).

“Venhamos e convenhamos, a CCJ não pode ficar por exemplo com o grupo derrotado do MDB”, alfinetou.

“Não houve convite ainda porque os dois maiores partidos que acompanharam o presidente Davi, PSDB e PSD, foram vitoriosos e já ocuparam esses espaços.”

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.