Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Bolsonaro tem boa evolução clínica, e quadro pulmonar caminha para resolução

Boletim médico não apresentou previsão de alta para o presidente, internado desde 27 de janeiro

Anaïs Fernandes
São Paulo

O presidente Jair Bolsonaro "mantém boa evolução clínica" um dia após deixar a Unidade de Terapia Semi-Intensiva, informou boletim médico do hospital Albert Einstein divulgado nesta terça-feira (12).

Os médicos não informaram, no entanto, previsão de alta. Existe a possibilidade de que ele possa sair nesta quarta-feira (13). Ao meio-dia, Bolsonaro deve tomar a última dose de antibiótico para tratar uma pneumonia.

O presidente Jair Bolsonaro, que se recupera de cirurgia no Hospital Albert Einstein, em São Paulo
O presidente Jair Bolsonaro, que se recupera de cirurgia no Hospital Albert Einstein, em São Paulo - Reprodução/Twitter/AFP

Bolsonaro está internado há 17 dias para se recuperar de uma cirurgia para a retirada de uma bolsa de colostomia. Sua saída foi postergada pelo diagnóstico, na semana passada, do quadro de pneumonia.

Segundo o boletim, o presidente não tem febre nem dor abdominal e "o quadro pulmonar encontra-se em resolução".

Desde a véspera o presidente está em um apartamento no hospital. A nutrição parenteral (por via endovenosa) foi suspensa e os médicos introduziram uma dieta leve, que prossegue nesta terça, com uso de suplemento nutricional.

Bolsonaro almoçou sopa, fruta cozida e uma massa —cardápio que será repetido no jantar porque agradou o presidente. No lanche da tarde, comeu torradas e bolachas e tomou chá. O boletim informa que a alimentação ocorre com "boa tolerabilidade" por parte do presidente.

Ele também continua realizando exercícios respiratórios e de fortalecimento muscular e já caminha sozinho. Na noite de segunda, fez alguns despachos administrativos.

A hipótese de alta na quarta foi levantada anteriormente pelo ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil) e pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que visitou Bolsonaro na véspera.

O presidente não recebeu visitas de autoridades nesta terça. Por ordem médica, elas permanecem restritas.

A alta de Bolsonaro é amplamente aguardada, principalmente por sua equipe econômica e pelo mercado financeiro, porque é ele quem vai bater o martelo sobre o projeto que será apresentado para a reforma da Previdência.

Na segunda, o porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros, disse que a possibilidade de o presidente receber a proposta no hospital está descartada a princípio.

Barros reafirmou que Bolsonaro vai receber o texto assim que estiver com a saúde melhor, mas disse que não poderia garantir que isso ocorreria nesta semana. O porta-voz não fez pronunciamento nesta tarde.

Assim que tiver alta, o presidente receberá da equipe econômica uma versão única da proposta, com pontos que podem ser alterados, afirmou nesta terça-feira (12) o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho.

Segundo Marinho, a proposta será entregue imediatamente após a liberação médica.

“Vamos aguardar apenas a disponibilidade de agenda do presidente. Estamos esperando que ele nos convoque”, disse.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.