Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Senado convida ministro do Turismo a esclarecer casos de candidaturas de laranjas

Convite para falar sobre esquema revelado pela Folha foi aprovado na comissão de Transparência mas data ainda não foi definida

Daniel Carvalho
Brasília

Uma comissão do Senado Federal aprovou nesta terça-feira (12) um requerimento para convidar o ministro Marcelo Álvaro Antônio (Turismo) a esclarecer os casos de candidaturas de laranjas do PSL de Minas Gerais revelados pela Folha.

Como se trata de um convite, o ministro não é obrigado a comparecer. No entanto, é incomum que autoridades não atendam a solicitações do Congresso.

O convite foi feito pela Comissão de Transparência, Governança, Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor, que ainda definirá a data da audiência.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, dá entrevista após visita à região alvo de desastre em Brumadinho (MG)
O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, dá entrevista após visita à região alvo de desastre em Brumadinho (MG) - Fernanda Canofre - 16.fev.19/Folhapress

​O requerimento foi apresentado pelo líder da minoria, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), com base em reportagens da Folha.

Desde 4 de fevereiro, o jornal mostrou que Álvaro Antônio, deputado federal mais votado em Minas, patrocinou um esquema de candidaturas de laranjas abastecidas com verba pública do PSL.

Na última quinta (7), a Folha revelou duas novas personagens: Zuleide Oliveira, que acusa o ministro de convidá-la a ser laranja, e Adriana Borges, que prestou depoimento apontando assessores de Álvaro Antonio como intermediários de uma negociação do esquema. ​O ministro nega as irregularidades.

Auxiliares do presidente Jair Bolsonaro avaliam como insustentável a permanência do ministro no cargo, mas o presidente tem sinalizado que gostaria de esperar a conclusão de inquérito instaurado pela Polícia Federal.

Inicialmente seria apresentado um requerimento de convocação—quando há obrigatoriedade de comparecer—, mas o ministro do Turismo pediu ao líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), para articular a aprovação apenas de um convite para que ganhasse tempo.

Nesta terça-feira também foi marcada a ida do ministro Paulo Guedes (Economia) à CAE (Comissão de Assuntos Econômicos). O ministro comparecerá no dia 26 de março para discutir, oficialmente, a Lei Kandir e o endividamento crescente dos estados.

Na próxima terça-feira (19), a CAE fará uma audiência pública para entender os impactos fiscais da reforma da Previdência.

Serão convidados o secretário de Previdência do Ministério da Economia, Leonardo Rolim, o diretor-executivo da Instituição Fiscal Independente, Felipe Salto, e o economista Paulo Tafner, além do ex-ministro da Previdência e ex-senador José Pimentel e do consultor legislativo do Senado Pedro Nery.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.