Reportagens de Clóvis Rossi abordaram momentos históricos; veja seleção

Jornalista morto nesta sexta (14) escrevia na Folha desde 1980

São Paulo

Clóvis Rossi, morto na madrugada desta sexta-feira (14), aos 76 anos, viveu mais 56 deles como jornalista. Na Folha, foram quase 40 anos.

Desde 1987, assinava colunas sobre variados temas, dentre os quais política brasileira e internacional, além de opiniões sobre economia, esporte ou alguma cena quente do noticiário.

Na reportagem do jornal, começou antes, em fevereiro de 1980, e fez coberturas de eventos históricos, viagens de vários presidentes brasileiros, Copas do Mundo e Olimpíada e foi correspondente em Buenos Aires e Madri. 

Abaixo, uma seleção de reportagens marcantes, inclusive a primeira delas, publicadas por Rossi na Folha. 

 

Uma guerra não declarada

6.fev.1980 - primeiro texto publicado na Folha

Há uma guerra não declarada no Brasil, que certamente já fez mais vítimas do que incertos números da guerrilha do Araguaia, que provocou a maior mobilização de tropas no país em tempos de paz. A guerra pela posse de terra —o tema que a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil está discutindo em Itaici, município de Indaiatuba— registrou nada menos do que 448 combates apenas nos seis anos que vão de 1971 a 1976. Consequência desses combates: 113 mortos e oitenta feridos, conforme o  levantamento feito pelos professores  V. L. G. S. Rodrigues e José Francisco Graziano da Silva, publicado em 1977. 

Leia mais no Acervo Folha

Polícia reprime empresários em Buenos Aires

10.dez.1980 - texto de quando foi correspondente na Argentina

O empresariado argentino declarou-se ontem [9.dez.1980] à noite em "estado de alerta" e decidiu determinar ou apoiar medidas de protestos parciais ou totais "em defesa das empresas e do patrimônio nacional", depois que as autoridades proibiram a reunião convocada para ontem à noite pela Convocatória Nacional Empresarial (Conae), que reúne o patronato de capital nacional.

Leia mais no Acervo Folha

Ficha com títulos de reportagens publicadas por Clóvis Rossi na Folha em 1980
Ficha com títulos de reportagens publicadas por Clóvis Rossi na Folha em 1980 - Reprodução

 Congresso repele cerco policial e vota hoje a emenda das diretas

25.abr.1984

Na véspera da votação da emenda Dante de Oliveira, o Congresso Nacional passou pouco mais de três horas (até cerca de 21 horas) cercado por um contingente da Polícia Militar, que foi retirado apenas após uma reunião dos três ministros militares, que decidiram atender aos insistentes apelos dos parlamentares para que o cerco fosse levantado.

Leia mais no Acervo Folha

A Nação Frustrada! Apesar da maioria de 298 votos, faltaram 22 para aprovar diretas

26.abr.1984

A emenda Dante de Oliveira, que prevê eleições diretas já para a Presidência da República, foi rejeitada esta madrugada pela Câmara dos Deputados, embora tivesse recebido maioria de votos a favor (293 a 65), insuficiente, entretanto, para se atingir o quórum de dois terços exigido para alterações da Constituição. Faltaram 22 votos.

Leia mais no Acervo Folha 

Eleição de Tancredo Neves encerra ciclo militar

16.jan.1985

A Nova República —o slogan cunhado por Tancredo Neves, 74, para seu período de governo— nasceu exatamente às 11h34 de ontem, horário em que foi emitido o 344º e definitório voto a favor do ex-governador mineiro. E nasceu aos sons da primeira grande festa política da história do Brasil que se realiza simultaneamente de Norte a Sul, do plenário da Câmara às ruas de Brasília, do Oiapoque ao Cuí, como antes só se vira em Copas do Mundo.

Leia mais no Acervo Folha

Tancredo morre em São Paulo às 22h23

22.abr.1985

O cortejo fúnebre do presidente eleito Tancredo Neves só sairá às 9h30 do Instituto do Coração, em direção ao aeroporto de Congonhas, para o embarque para Brasília. Antes, o corpo será submetido a um processo de preservação (não chega a ser embalsamamento), que consiste na injeção de substâncias preservativas e, provavelmente, na retirada das vísceras, justamente para facilitar a conservação.

Leia mais no Acervo Folha

Extrema direita chilena tem plano para tumultuar votação

5.out.1988

A extrema direita chilena armou um esquema para tumultuar e, se possível e necessário, interromper a votação e/ou apuração do plebiscito marcado para hoje, no qual 7.435.913 eleitores decidirão se o atual presidente, general Augusto Pinochet Ugarte, continua no poder até 1997 ou se haverá eleições presidenciais abertas no ano que vem.

Leia mais no Acervo Folha

Collor eleito - A espera de 29 anos termina em nova espera

18.dez.1989

Os brasileiros esperaram 29 anos para voltar a eleger diretamente o presidente da República e essa longa espera acabou se transformando, na noite de ontem, apenas em mais espera.

Leia mais em Acervo Folha

Choque do Plano Collor é o maior de toda a história

17.mar.1990

O presidente Fernando Collor baixou ontem um pacote econômico que mexerá com cerca de US$ 35 bilhões (10% do Produto Interno Bruto) e revoluciona toda a economia a tal ponto que ninguém, exceto os membros da equipe econômica, tinha certeza de seus efeitos globais a médio e longo prazo.

Leia mais em Acervo Folha

Começa a guerra!

17.jan.1991

Aviões de combate da força multinacional aliada iniciaram a guerra ao Iraque Pas 2h30 da manhã de hoje (21h30 de ontem em Brasília). A operação "tempestade no deserto" começou à 0h58 (19h58 de Brasília), com a decolagem de caças F-15 de uma base na região central da Arábia Saudita.

Leia mais no Acervo Folha

Impeachment! - 441 votos afastam Collor da Presidência

30.set.1992

Em decisão inédita na história da América Latina, um presidente da República —o brasileiro Fernando Collor de Mello— teve seu afastamento aprovado pela Câmara dos Deputados, por esmagadora maioria (441 votos a favor, 38 contra, uma abstenção e 23 ausências).

Leia mais no Acervo Folha

FHC é presidente - FHC planeja reduzir ministérios para formar supercâmara setorial

4.out.1994

O governo Fernando Henrique Cardoso tende a transformar a Esplanada dos Ministérios em uma espécie de supercâmara setorial, por meio de redistribuição de poder entre os ministérios.

Leia mais no Acervo Folha

Powell vê Arafat e Sharon, mas não avança

15.abr.2002

O secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, aparentemente não avançou um milímetro na tentativa de devolver o conflito israelo-palestino à via diplomática, depois de encontros com os líderes das duas partes.

Leia mais no Acervo Folha

Terror mata mais de 190 em Madri

12.mar.2004

A Espanha viveu ontem, 11 de março de 2004, o seu 11 de Setembro (de 2001, a data do maior ataque terrorista contra os EUA, há exatos dois anos e meio): dez bombas explodiram em quatro trens, em três estações, causando a morte de pelo menos 192 pessoas e ferindo mais de 1.400, três dias antes da eleição geral do país.

Leia mais

Lula nega ter conta no exterior e acusa revista de podridão

14.mai.2006

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva acusou a revista "Veja" de ter praticado "crime" e de ter chegado ao "limite da podridão", por causa da reportagem na qual aponta supostas contas no exterior de Lula, de outras figuras do governo e de ex-ministros.

Leia mais

Só a história para fazer um julgamento mais racional sobre dirigente cubano ​

20.fev.2008

Ditador comunista, que associou o extraordinário e inegável carisma a uma inquietação permanente, é santo ou demônio, sem meios termos, de acordo com posição ideológica de quem o julga.

Leia mais

Morales aceita que Unasul seja mediadora na Bolívia

16.set.2008

O presidente da Bolívia, Evo Morales, aceitou ontem que a Unasul (União de Nações Sul-Americanas) atue como mediadora do diálogo entre seu governo e os cinco governadores de oposição, que há três semanas promovem o bloqueio de rodovias e a ocupação de aeroportos e prédios públicos.

Leia mais

'Cercado de lobos', Bento 16 anuncia a sua saída

12.fev.2013

Até o jornal oficial do Vaticano, "L'Osservatore Romano", havia anunciado no ano passado que o papa Bento 16 era "um pastor cercado de lobos".

Ontem [11.fev.2013], o pastor se rendeu aos lobos, ao anunciar que renuncia ao papado às 20h do dia 28 (17h em Brasília), embora tenha alegado motivos de saúde ou, mais exatamente, que se deteriorara "a fortaleza da mente e do corpo", indispensável para o bom exercício de sua função, especialmente em um homem de 85 anos como ele.

Leia mais

Memórias de quando o mundo se reúne em Davos

13.mar.2018 

Devo ser o jornalista que há mais tempo cobre os encontros do Fórum Econômico Mundial, cuja edição regional latino-americana começa nesta terça (13).

Acompanho o Fórum de Davos desde 1992, um quarto de século. O que me permite a presunção de achar que tenho as duas melhores maneiras de defini-lo.

Leia mais

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.