Em homenagem a ex-chefe do Exército, Senado reproduz mensagem que irritou PT

Sessão cita texto do general Villas Bôas publicado na véspera do julgamento do STF sobre pedido de Lula

Brasília

Na sessão especial em homenagem ao ex-comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, o Senado projetou no plenário da Casa a mensagem do militar publicada na véspera do julgamento em que o STF (Supremo Tribunal Federal) rejeitou um pedido de habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, permitindo que o petista começasse a cumprir pena após a condenação em segunda instância.

A publicação de Villas Bôas, feita no Twitter em 3 de abril do ano passado, causou polêmica e o PT acusou o militar de atuar para interferir no resultado do julgamento.

“Asseguro à Nação que o Exército Brasileiro julga compartilhar o anseio de todos os cidadãos de bem de repúdio à impunidade e de respeito à Constituição, à paz social e à Democracia, bem como se mantém atento às suas missões institucionais”, escreveu o general, na mensagem agora reproduzida no telão do Plenário do Senado.

Em 3 de abril do ano passado, Villas Bôas também escreveu no Twitter: "Nessa situação que vive o Brasil, resta perguntar às instituições e ao povo quem realmente está pensando no bem do país e das gerações futuras e quem está preocupado apenas com interesses pessoais?".

 

No julgamento do HC de Lula no dia seguinte, o STF decidiu pela possibilidade de prisão do petista em segunda instância, que acabou concretizada três dias depois.

Em entrevista à Folha em novembro de 2018, Villas Bôas comentou sua publicação da véspera do julgamento de Lula e disse que, na ocasião, sentiu que “a coisa poderia fugir ao nosso controle”.

"Reconheço que houve um episódio em que nós estivemos realmente no limite, que foi aquele tuíte da véspera da votação no Supremo da questão do Lula", afirmou o general na entrevista.

“Ali, nós conscientemente trabalhamos sabendo que estávamos no limite. Mas sentimos que a coisa poderia fugir ao nosso controle se eu não me expressasse. Porque outras pessoas, militares da reserva e civis identificados conosco, estavam se pronunciando de maneira mais enfática", concluiu.

A assessoria do senador Chico Rodrigues (DEM-RR), autor do requerimento da homenagem, disse que a escolha do material de apoio da sessão —entre elas a mensagem projetada no telão— foi feita pelo gabinete do parlamentar.

Em discurso durante a sessão de homenagem, o comandante do Exército, Edson Pujol, disse que seu antecessor soube conduzir a instituição de maneira equilibrada durante períodos turbulentos.

"Nos últimos períodos em que a Nação viveu períodos turbulentos, como aqui já mencionado, das discussões e das ponderações realizadas internamente dentro da nossa força, com o senhor conduzindo as discussões e os estudos de forma equilibrada e ponderada, honrando, de forma irretocável, aqueles que nos antecederam à frente da força do Exército Brasileiro", disse Pujol.

"De forma equilibrada e ponderada, soube conduzir o Exército, interna e externamente, a proporcionar as melhores condições para que a nossa democracia pudesse transpor águas turbulentas, períodos atribulados e chegar hoje a um período em que nós temos um espaço e um ambiente favorável para o florescimento de um país mais forte e mais democrático que possa ter um futuro com maior esperança para a nossa Nação", afirmou o comandante do Exército.

Em busca de sua recondução ao comando da PGR (Procuradoria-Geral da República), Raquel Dodge também participou da solenidade.

"Tenho certeza de que muitas das autoridades civis e militares aqui presentes, todas, em algum dia, em algum momento de suas carreiras, receberam um telefonema do general Villas Bôas, um chamamento à ação, um chamamento à coalizão, um chamamento ao diálogo, nas horas mais difíceis enfrentadas por esta nação, nas horas de crise. Foi nessas horas que ele soube definir estratégias, que ele soube unir pessoas, unir autoridades, unir instituições, fortalecer a nossa democracia", afirmou a procuradora.

Villas Bôas também discursou ao final da cerimônia.

"Faço questão de expressar que tudo o que foi feito no meu período de comando foi porque eu tinha a certeza e a confiança de qual seria a atitude de todo o Exército ladeado pela Marinha e pela Força Aérea. Eu tinha absoluta confiança da coesão do Exército e dos seus propósitos, valores e atitudes", disse o atual assessor especial do Gabinete de Segurança Institucional.

Ao se dirigir ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), Villas Bôas disse que o senador tem desempenhado papel importante "neste período que estamos atravessando".

"Hoje o Brasil busca retomar seus rumos para um futuro de grandeza."

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.