Bolsonaro diz que Witzel sabia do depoimento do porteiro do caso Marielle

Presidente contou que governador do Rio falou com ele sobre o caso no dia 9 de outubro

Riad

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) acusou nesta quarta-feira (30) o governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), de "conduzir" o processo do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) para prejudic√°-lo. 

Ele afirmou que Witzel falou com ele sobre o assunto semanas atrás em um evento no Clube Naval do Rio de Janeiro, apesar do processo correr sob segredo de Justiça.

Bolsonaro fala em transmiss√£o ao vivo em rede social e nega envolvimento na morte de Marielle
Bolsonaro fala em transmissão ao vivo em rede social e nega envolvimento na morte de Marielle - Reprodução/Facebook

"No dia 9 de outubro, às 21 horas, eu estava no Clube Naval do Rio de Janeiro quando o governador Witzel chegou para mim e disse: o processo está no Supremo", contou Bolsonaro.

"Que processo? O que eu tenho a ver? E o Witzel disse que o porteiro citou meu nome. Ele sabia do processo que estava em segredo de Justiça", disse o presidente.

"Agora eu pergunto ao governador Witzel: você sabia? Esse processo corre em segredo de Justiça. No meu entendimento, o senhor Witzel está conduzindo esse processo para manchar meu nome com essa falsa acusação", completou Bolsonaro.

As declara√ß√Ķes do presidente foram feitas ao sair do hotel em Riad, na Ar√°bia Saudita ,a caminho do f√≥rum conhecido como "Davos no Deserto". Bolsonaro contou que havia dormido apenas uma hora por causa da crise, mas que era "militar" e enfrentaria os investidores que o aguardavam.

Durante a madrugada, o presidente fez uma transmiss√£o ao vivo em suas redes sociais para rebater mat√©ria do Jornal Nacional, da TV Globo, que diz que um dos acusados de dirigir o carro com os assassinos de Marielle esteve em seu condom√≠nio no dia do crime.

Segundo o depoimento de um porteiro, o suspeito pediu para ir na casa de Bolsonaro e um homem com a mesma voz do presidente atendeu o interfone e autorizou a entrada. O acusado, no entanto, teria ido em outra casa dentro do condomínio.

O depoimento tem uma contradi√ß√£o porque o plen√°rio de presen√ßa da C√Ęmara dos Deputados atesta que Bolsonaro estava em Bras√≠lia nesse dia. Para o presidente, esse porteiro √© uma pessoa "humilde" que est√° sendo "usada" pelo delegado da Pol√≠cia Civil que conduz o caso "a mando de Witzel". Ele afirmou ainda que pretende ver com seus advogados se a Pol√≠cia Federal pode tomar novamente o depoimento do porteiro.

O presidente afirmou ainda que est√° aguardando a TV Globo convid√°-lo para uma entrevista no Jornal Nacional ao vivo sobre o assunto. "Se √© que algu√©m tem car√°ter na c√ļpula da Globo. Divulgar uma mat√©ria mentirosa para atrapalhar o Brasil aqui [na Ar√°bia Saudita]. Acabou a mamata da TV Globo".

Coment√°rios

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.