Apoio à soltura de Lula é menor entre aposentados e em grandes cidades, diz Datafolha

Pesquisa, porém, mostra mais apoio ao ex-presidente em relação a levantamentos anteriores

São Paulo

Pesquisa Datafolha que mostrou aprovação majoritária da população à soltura do ex-presidente Lula também aponta que o apoio ao petista cai em segmentos como aposentados e moradores de grandes cidades.

Levantamento do instituto, realizado quinta (5) e sexta-feira (6), mostrou que 54% da população considerou justa a libertação do ex-presidente após decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), ante 42% que a consideraram injusta. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Ele deixou a cadeia no dia 8 de novembro, beneficiado por decisão do Supremo que passou a considerar inconstitucional a prisão de condenados que ainda têm recursos pendentes nas instâncias superiores, como é o caso do petista.

A reprovação à soltura de Lula na mais recente pesquisa é maior entre eleitores com alta renda. Na faixa dos que possuem renda familiar mensal acima de dez salários mínimos, 70% disseram que nunca confiam em declarações do ex-presidente. Na população em geral, essa taxa é de 37%. 

A reprovação também ultrapassa a aprovação no segmento dos aposentados (49% a 45%), dos que têm escolaridade de nível superior (52% a 45%), eleitores que consideram que a crise econômica do país já acabou (55% a 42%) e entrevistados que se declaram brancos (51% a 45%). 

Entre os moradores de municípios com mais de 500 mil habitantes, o apoio a Lula também é menor: 50% a 45%.

Desde que deixou a cadeia, Lula retomou a agenda de eventos políticos, fez viagens ao Nordeste e ao Rio de Janeiro e deu uma série de declarações críticas ao governo de Jair Bolsonaro.

Os números do Datafolha mostram uma guinada a favor do ex-presidente em relação a outros levantamentos do instituto, feitos em julho deste ano e em abril do ano passado, em que pese a formulação das perguntas ter mudado. 

Na pesquisa mais recente, o instituto mencionou a soltura após a decisão do Supremo e perguntou se a libertação foi justa ou injusta.

Em julho, 53% dos jovens de 16 a 24 anos aprovavam a condenação do ex-presidente no caso tríplex de Guarujá (SP), ante 61% que agora consideram a libertação justa.

Entre o eleitorado com renda familiar mensal de até dois salários mínimos, 49% classificaram a prisão de Lula como injusta em abril de 2018, enquanto na pesquisa da semana passada 63% dessa faixa do eleitorado disseram que a saída do petista da cadeia é justa.

No recorte regional, o Nordeste, única região do país onde o PT foi mais votado na eleição presidencial de 2018, continua com as taxas mais elevadas de apoio ao ex-presidente.

Consideram justa a soltura do petista na região 71% dos entrevistados —eram 56% os críticos à condenação no caso tríplex em julho nessa parte do país.

O apoio também se mantém elevado entre quem declarou voto no ex-presidenciável Fernando Haddad em 2018 e cai para 28% entre aqueles que declararam como partido de preferência o PSL, ex-sigla de Bolsonaro.

 
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.